Campeões Nacionais 2014/2015

Campeões Nacionais 2014/2015

Siga-nos no Facebook

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O texto do passatempo Record



Futebol Português em “falência técnica”

"Neste Mundo atual o capitalismo é lei e no futebol não é diferente. O futebol gera milhões e milhões de euros anualmente, divididos por dirigentes, jogadores, treinadores, empresários, empresas de publicidade, comunicação social, fundos e poderia enumerar muitos mais. Enquanto assim for, só os clubes que tiverem a capacidade para encontrar formas para se financiarem é que conseguem sobreviver a este futebol selvático em termos financeiros. A moda, atualmente, e em grandes clubes Europeus, é atrair investidores estrangeiros para adquirirem os clubes e injetarem milhões de forma a conseguirem atrair os melhores jogadores e desta forma conseguirem manter a sua competitividade nacional e internacional. O caso mais recente é o Paris Saint-Germain que recentemente defrontou o FC Porto. O lado negro deste futebol moderno e capitalista é a situação do Rangers.
Transportando este futebol capitalista para o nosso campeonato Nacional, verificamos que atualmente só temos duas equipas, Benfica e FC Porto, que verdadeiramente poderão fazer uma gracinha na Europa, quando falo de Europa falo da Champions porque na Liga Europa acho que FC Porto, Benfica, Sporting e até o Braga poderão ser candidatos a vencer a prova. Mas mesmo essas duas equipas têm de fazer muitas contas e muita “ginástica” financeira para se manterem competitivos internacionalmente.
O alarme já soou nos três grandes de Portugal, o Benfica já assumiu que terá de mudar de estratégia e diminuir o investimento apostando mais na formação e tentando comprar barato para depois vender caro. O problema deste modelo de gestão é conseguir fazer isto tudo sem perder competitividade. Não é segredo para ninguém que o FC Porto está também em enormes dificuldades financeiras e terá, obrigatoriamente, que mudar de estratégia se não quiser hipotecar o seu futuro. Em relação ao Sporting, a situação é caótica! Há quem diga que o Sporting está mais perto do que o que aconteceu ao Rangers do que muitos pensam e se calhar isso reflete-se na equipa de futebol. Se o Sporting falhar mais uma qualificação à liga milionária, e mesmo até a Liga Europa, ficando assim privado dos milhões que poderiam aliviar um pouco as contas, então poderemos estar a assistir à “morte” do Sporting.
O problema maior no nosso campeonato é que há muitos clubes que dentro de pouco tempo entrarão em incumprimento com os seus atletas, se é que alguns já não estejam nessa situação. Os nossos clubes estão sem receitas, sem adeptos nos estádios e carregados de dívidas. O Vitória de Guimarães é o caso mais evidente das dificuldades financeiras porque atravessam os clubes Portugueses, o Vitória de Setúbal é outro dos clubes que ano após ano sente enormes dificuldades, a Académica teve de fazer contas para verificar se tinha capacidade financeira para participar na Liga Europa.
O futebol Português, na minha opinião, está em “falência técnica” e parece que os clubes não querem resolver tal situação. O que os clubes querem é manter-se na primeira divisão, conseguirem garantir declarações dos jogadores em como tudo está bem e passados três ou quatro meses entram em rotura financeira e começam a existir dificuldades em garantir o pagamento dos ordenados. O dirigismo Português tem de mudar de mentalidade, os clubes já não podem ser geridos como simples coletividades neste futebol dos milhões.
As competições Nacionais têm de reformuladas, o caminho poderá ser a redução do números de clubes na Primeira Liga e organizar a Segunda Liga por zonas, a Federação e a Liga terão de encontrar mais financiamento para as provas que organizam, os direitos televisivos terão de ser estudados e ver se há forma de aumentar as receitas dos clubes nesta área, é necessário encontrar mecanismo para chamar público aos estádios e isto tudo só poderá ser feito quando os clubes se unirem e deixarem de olhar para o seu próprio umbigo. Os clubes, mais propriamente os seus dirigentes, têm de ter a consciência que se o futebol Português continuar com o modelo atual, mais cedo ou mais tarde “morre”. Temos clubes profissionais a mais para um país tão pequeno, para um futebol que, tirando os três grandes, Guimarães e agora o Braga, tem assistências absolutamente ridículas.
O futebol Português está em “morte lenta” e o caminho que alguns defendem é mais um passo para o abismo. Está na hora de pararmos para pensar o futebol Português de forma séria e frontal e os clubes terão de estar preparados para tudo se quiserem salvar o futebol Português e, nalguns casos, se quiserem sobreviver neste futebol dos milhões."
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

AMIGO/A VISITANTE

Não comente como ANÓNIMO porque pode haver quem deseje responder-lhe e assim continuar o diálogo.

Clique em NOME/URL e escreva o seu, ou um nome, ou um nik, não necessitando de escrever nada no 2.º rectângulo, deixando-o em branco.
A seguir clique em ... continuar e... comente.

Volte sempre. Obrigado