Campeões Nacionais 2014/2015

Campeões Nacionais 2014/2015

Siga-nos no Facebook

sexta-feira, 3 de junho de 2016

O "planeamento" do tri...



Portugal 3 de Junho de 2016

Depois de conquistado o tricampeonato, a máquina da propaganda que promove Vieira e a sua Direcção não perdeu oportunidade para dar voz a muita gente que lá do alto das suas convicções, elaboram autênticos tratados científicos absolutamente infalíveis, que premeiam a “estrutura” de futebol do Benfica, o treinador, os jogadores, etc.
Quanto ao treinador e jogadores, mérito inegável, nada a dizer como é óbvio. Apenas acrescentaria o 12º jogador, a mística benfiquistas, os que faça chuva ou faça sol estão lá sempre a incentivar.
Vamos então ver, de forma despretensiosa, como foi “planeado” o tricampeonato.
Dizem os princípios do futebol amplamente respeitados em todo o mundo, que em equipa que ganha não se mexe, mas a “estrutura” decidiu mexer e forte, após ter conquistado o primeiro bicampeonato em quase 30 anos. Aquele que foi considerado o artífice do bi, o treinador Jorge Jesus, em vez de ter uma proposta para continuar, recebeu uma proposta para ir treinar em França, com uma passagem pelo Qatar (a seu tempo irei recuperar o que a comunicação social escreveu sobre o assunto na altura, e que a maior parte dos adeptos já esqueceu).
O processo de desgaste de JJ começou em Janeiro de 2015 quando o CM deu conta que o Benfica tinha Rui Vitória como alternativa caso falhassem as negociações de renovação com Jesus. Mas quais negociações, se não as havia? O interesse desta notícia está no facto que pretendia ser um aviso para muita gente ligada ao assunto “treinador do Benfica” deixando claro que a Direcção, que não desmentiu a notícia, não estava inclinada a facilitar na renovação.
Mais do que o treinador, outra referência com 8 anos de casa e uma entrega ao jogo reconhecida por todos, Maxi Pereira, foi enxotado borda fora, com a máquina da propaganda a falar de um salário elevado e incomportável para o teto salarial em vigor, mas depois em compensação, foram contratar o Taarabt pagando 2,6 milhões por prémio de assinatura (1 milhão para o seu empresário o Kia Jarobian, o mesmo do Ramires) e um salário bruto de 2,3 milhões por época. Toda a gente que acompanha o futebol inglês na BTV sabia que Taarabt não era jogador para o Benfica, pelos problemas de peso que já tinha no QPR e por falta de atitude competitiva que o levou a ser encostado pelo treinador da altura.
A dita “estrutura” optou então por um jogador que, na hipótese de ter assinado por 4 anos (confesso que não sei por quantos anos assinou), custa anualmente ao Benfica (incluindo a parte da assinatura) 2,95 milhões de euros! Pouparam no ordenado do Maxi que pedia pouco mais do que esses 2,95 milhões que custa Taarabt, e promoveram um jovem da Formação, que também tem salário, e que não poderia dar as mesmas garantias desportivas das que Maxi Pereira dava, embora pudesse ser seu suplente: Nélson Semedo.
Resultado: Maxi Pereira é um dos 3 jogadores do FCP na equipa ideal do campeonato português, pelos critérios da UEFA hoje publicados, e lendo as diversas notícias sobre as contas do Benfica referentes ao 3º trimestre constata-se que afinal, apesar do famoso teto salarial, as despesas com pessoal aumentaram!
É pouco dizer que as opções da “estrutura” são estranhas, considerando que fazem quase tudo ao contrário de quem pretende ser campeão ou diminuir às despesas.
A mudança de treinador implicou a contratação de um novo treinador. Sem por em causa a sua competência, na verdade Rui Vitória tinha apenas a Taça de Portugal conquistada ao Benfica de Jesus, mas conquistada com erros de arbitragem habituais de Jorge de Sousa, o mesmo que, coincidência, deu a Supertaça ao SCP de Jorge Jesus, tirando-a ao Benfica de Rui Vitória!
Fora isso, a “cassete” do “Rui Vitória aposta em jovens” traduziu-se na humilhante eliminação das competições europeias, em 2011 ou 2012, quando precisava empatar em casa com o Marítimo e perdeu. Perante estes dados, Rui Vitória era uma aposta para o campeonato? Óbviamente que não...
Quanto à Formação já referi anteriormente que se traduziu numa falácia. Foram promovidos através da “Revista Mística” 6 jogadores, onde não se incluía o Renato Sanches, jogador que revolucionou o futebol da equipa após 3 derrotas em 10 jogos. Fora isso, Lindeloff entrou porque se lesionou Luisão e Lisandro (antes disso fez zero jogos), Renato entrou porque Samaris estava com 4 cartões amarelos, Fejsa alternava lesões com lesões, idem com Gaitan, Sálvio ainda a recuperar e Gonçalo Guedes em baixo de forma. Foi preciso ir buscar alguém à equipa B que felizmente, para ele e para nós, brilhou de imediato!
Mas chamar a isto “planeamento” da “estrutura” não é desonesto?
Como diz Ricardo Araújo Pereira, podemos atravessar a auto-estrada a correr e não ser atropelados... agora não convém fazer outra vez porque pode dar mal... E não é isso que se tem feito nestes 15 anos de Vieira, feitos agora em Maio?

6 comentários:

  1. Estava eu tão feliz quando o Benfica não ganhava nada e logo agora veio o malandro do Vieira que põe o SLB a ganhar. Éramos pobres mas honrados, agora ganhamos mas ... Tudo o que se ganhou foi pura sorte, nada planeado.
    Penso que o melhor será tomar Kompensan. Mas neste estado já avançado de acidez talvez seja preferível um medicamento tipo antibiótico.
    Com amigos destes nem precisamos de inimigos.
    Carrega GLORIOSO.

    ResponderEliminar
  2. És pouco burro és

    ResponderEliminar
  3. Já comentei ontem. mas como a alternativa ao Vieira é muito democrática ...
    Passem um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Boa análise. Só discordo do aumento dos custos visto que está relacionado com os prémios de jogo da champions. Abraço e continue o bom trabalho. Ze Gato.!

    ResponderEliminar
  5. Está tudo uma desgraça... um caos...

    ResponderEliminar
  6. Agradeço a todos em particular aos que continuem a não perceber que este campeonato foi ganho por um conjunto de factores que se conjugaram para nos dar o título... os mesmos que vêm aqui elogiar Vieira porque "nos dá títulos" seriam os mesmos que quando Viera ganhou, sem saber ler nem escrever, o campeonato de Trapatoni (65% de pontos conquistados), e mais tarde perante o falhanço da sua estratégia, viu o FCP fazer um "tetra", sendo três deles com Jesualdo (esse que foi despedido do Benfica), veio dizer "se calhar para algumas pessoas não devíamos ter ganho o último campeonato", estes mesmos adeptos se calhar diriam "deixem trabalhar o homem, não gana títulos mas está a fazer trabalho"...

    Para mim é óbvio que quem quer ganhar campeonatos, não manda embora o treinador bicampeão! MAs já no ano anterior eu podia dizer quase o mesmo: quem quer ganhar campeonatos não pode mandar embora meia equipa, e contratar para o lugar vago gente sem qualidade (à vista) e em data errada, como Samaris que entrou na equipa à 5ª jornada ou Jonas que entrou à 7ª jornada... Quem quer ganhar campeonatos aparece com a equipa o mais preparada possível na 1ª jornada.. depois disso, só ajustamentos... Vieira revolve tudo, destrói e volta a construir, e não é para ganhar desportivamente.. Mas que é um homem com sorte, como se viu no campeonato Trapp, ou no 2º do bi e neste tri, isso não tenho dúvidas...

    ResponderEliminar

AMIGO/A VISITANTE

Não comente como ANÓNIMO porque pode haver quem deseje responder-lhe e assim continuar o diálogo.

Clique em NOME/URL e escreva o seu, ou um nome, ou um nik, não necessitando de escrever nada no 2.º rectângulo, deixando-o em branco.
A seguir clique em ... continuar e... comente.

Volte sempre. Obrigado