Campeões Nacionais 2014/2015

Campeões Nacionais 2014/2015

Siga-nos no Facebook

segunda-feira, 28 de março de 2016

O que não falam de Renato Sanches...

Já ando farto de ouvir e ler os lagartos diminuírem as capacidades do Renato Sanches e tudo aquilo que já fez até agora.

Já cheguei a ter de ouvir e ler comparações com os craques que pululam em Alvalade, tais como João Mário, Adrien, William Carvalho, Mané, Gelson e Matheus.

O que não vi nenhum lagarto ou jornaçiero fazer foi pegar nas pérolas atrás referidas e ver o que andavam a fazer quando tinham a idade do Renato Sanches mas eu fi-lo e vou aqui apresentar os brilhantes números de tais diamantes.

Então, aos 18 anos os craques da formação do Sporting tinham os seguintes registos:

JOÃO MÁRIO
  • Era júnior do Sporting - Fez 0(Zero) minutos na equipa principal;


ADRIEN
  • Era júnior do Sporting - Fez 0(Zero) jogos na equipa principal;


WILLIAM CARVALHO
  • Jogou 1 minuto no campeonato na equipa principal do Sporting;


MANÉ
  • Era júnior do Sporting - Fez 0(Zero) minutos na equipa principal;


GELSON
  • Era júnior do Sporting - Fez 0(Zero) minutos na equipa principal;

MATHEUS
  • Era júnior do Sporting - Fez 0(Zero) minutos na equipa principal;

Agora comparem com os números de Renato Sanches aos 18 anos:

RENATO SANCHES
  • 1425 minutos na Primeira Liga;
  • 360 minutos na Champions;
  • 116 minutos na Taça da Liga
TOTAL: 1901 minutos jogados na primeira equipa do Benfica

Depois disto as perguntas que se fazem são...
  • O que será Renato Sanches quando tiver os 23 anos do William Carvalho?
  • O que será Renato Sanches quando tiver os 27 anos do Adrien?
  • O que será Renato Sanches quando tiver os 23 anos do William Carvalho?

Isto para fazer referência aos três titulares do Sporting e que ainda continuam a ser considerados grandes promessas... Então o Renato será considerado o quê?

O Renato é um menino de 18 anos que está a fazer uma época fantástica!!! Está a crescer como jogador e como homem!! Comete ainda alguns erros mas é normal... Afinal só tem 18 aninhos feitos em Agosto, ainda tem idade de júnior...

Se tiver cabeça e os pés bem assentes na terra pode vir a ser um grande médio no futuro!!!!

Acho é que é injusto estarmos a comparar este menino de 18 aninhos acabadinhos de fazer com jogadores de 23 anos para cima...

Quer dizer, se compararmos o que já faz o Renato com 18 anos para o que fizeram os 3 craques titulares do Sporting aos 18 anos pode-se claramente dizer que o Renato é craque!!!!


quinta-feira, 24 de março de 2016

A treta do video-árbitro



Como podem ver o coroado arranjou facilmente duas expulsões ao Benfica. Os outros dois árbitros estiveram de acordo que o árbitro esteve bem mas o "azias" acha que não, acha que tanto Samaris como Eliseu deveriam ir para a rua, se calhar, por vontade dele, até ia a equipa toda.

Agora imaginem este artista num camarote como vídeo-árbitro... Este ou outros como ele que andam por aí mortinhos por um tacho no futebol... Agora imaginem este artista nos jogos do Sporting... Estão a ver o filme não estão?

Na minha opinião, e em relação ao futebol Português, o vídeo-árbitro deveria ser a última coisa a implantar. Não sei como estão a pensar fazer a coisa, não sei se é um 5.º árbitro que fará a análise dos lances ou o próprio árbitro do jogo junto ao 4.º árbitro.

O que sei é que há por aí muitos "coroados" desta vida que vão fazer "pressão" para que o vídeo-árbitro seja um 5.º árbitro, de forma a voltarem ao activo com um grande tacho... Quem sabe se não vamos ver o Calheiros ou o José Pratas em acção novamente...


quarta-feira, 23 de março de 2016

Alemães, nazis e xadrez



Portugal 23 de Março de 2016

Optando pela ordem cronológica, o sorteio da Champions acabou por ser aquele que eu tinha comentado para alguns amigos, no dia anterior. O Bayern estava na minha cabeça nos últimos dias antes do sorteio, vá lá saber-se porquê, mas de vez em quando há "fezadas" assim.
Ao contrário da maior parte dos analistas a mim parece-me um bom sorteio. Porque os sorteios não se podem avaliar só pela qualidade do adversário, os sorteios têm de considerar outros parâmetros. E neste caso, a mim parece-me que a esgotante (psicologicamente) eliminatória com a Juventus, onde estiveram quase a ser eliminados, poderá jogar a nosso favor. Porque o Bayern sabe que é super favorito e como tal, não irá conseguir repetir a exibição que fez com os italianos. O favoritismo nunca estimula os jogadores nem o público. Ambos irão enfrentar o Benfica a pensar “quando é que entra o primeiro golo”, sem se focarem tanto no jogo como quando tiveram de enfrentar adversários mais poderosos. Por outro lado, o favoritismo irá levar o Bayern a ter uma atitude mais proactiva durante o jogo, enquanto o Benfica terá uma atitude mais reactiva. Isto pode originar um encaixe das duas equipas de tal forma que eles terão as linhas de passe mais fechadas, devido a defendermos mais atrás, enquanto nós poderemos beneficiar de linhas de passe mais abertas, porque eles defenderão mais à frente. E se fizermos um golo, eles não irão conseguir mobilizar a sua “raiva” (no bom sentido) para nos massacrarem, pois sabem que podem voltar a sofrer outro golo.
Mas nem só de alemães vive a Alemanha, também há por lá descendentes dos nazis que destruíram a Europa e aniquilaram milhões de pessoas por serem judeus ou por causa da cor da pele, opções políticas, deficiências congénitas, etc.
Vem isto a propósito de um editorial do jornal do Sporting que equiparou o nosso “Mr. Burns” João Gabriel, a um “nazi”. E fizeram-no alegando que ele não pára de “atacar o SCP”, usando a “propaganda da mentira como Goebbels” fez nos anos de Hitler. Sem clubismos temos de chegar à conclusão que o SCP bateu no fundo da rivalidade, se é que podemos encaixar no conceito de rivalidade o ataque à equipa do Benfica em 1908 (levando-nos a equipa quase completa e obrigando o Benfica a ter de alinhar com a equipa de 2ª categoria), ou o mais recente ataque de Sousa Cintra a mais de metade da equipa do Benfica, na época 1993/1994 aproveitando-se de dificuldades económicas tremendas que existiam ao tempo de Jorge de Brito.
Para além do baixíssimo nível destes comentários leoninos, a História ensina-nos que aconteceu o contrário. Eram os nazis que acusavam os países vizinhos de os atacarem para justificar as suas investidas e invasões, como no caso da Polónia. Que mais tarde se veio a provar serem acusações falsas e inseridas numa estratégia de propaganda para convencer os seus cidadãos que a guerra era inevitável. A falarmos de posturas “nazis”, estamos pois a falar do SCP que tem atacado o Benfica desde que começou o campeonato, dobrando e triplicando algumas opções discutíveis do Benfica que começaram com a farsa das sms para os telemóveis dos jogadores do SCP.
Por último um “xadrez” complicado, como costuma ser sempre o estádio do Bessa, e tal como salientei no texto escrito antes do jogo, com algumas lesões e castigos, as dificuldades seriam muito maiores. Nem tudo foi mau: ganhamos com um golo limpo em bola corrida, e não se concretizaram os prognósticos de que o Boavista iria dar “pau” com o beneplácito do árbitro.
Vi muitos comentários sobre a qualidade de jogo do Benfica, de adeptos e de outros, coisa que não compreendo mas que não surpreende: os benfiquistas estão sempre a cair na esparrela da comunicação social, e a comunicação social sempre arranjará um defeito para empalidecer os sucessos do Benfica. Já assim foi nos 6 anos de Jesus (eram as invenções, eram os penaltys a favor, eram os supostos erros de arbitragem tirados de frames televisivas, eram as derrotas no minuto 93, eram os milhões sentados no banco, etc.) portanto isto não é uma questão de treinador, mas sim do clube que sendo grande, é ainda assim pequeno na estratégia de se fazer respeitar, tal como tenho vindo a demonstrar.
O Benfica nunca poderia jogar bem ou como tem jogado, pelo simples facto dos jogadores não serem os mesmos: Samaris não é Jardel, Jimenez não é Mitroglou, Fejsa (ou Samaris) e Renato são mais fortes a defender e a atacar do que André Almeida e Renato, Pizzi na ala não é Gaitan, etc, etc. A questão nunca se poderia colocar em questões de qualidade de jogo (para isso tivemos 6 anos de bom futebol e mesmo assim muitos adeptos não gostaram do treinador), a questão era saber se ganhávamos o jogo ou não. Ganhamos, jogada de bola corrida, minuto 93. Ponto. Afinal o que disseram esses entendidos quando o SCP ganhou ao Belenenses de penalty “oferecido” por Tonel aos 93 mn? Se calhar disseram que os campeões também se fazem destes golos. E eu confesso que fiquei sem saber se o SCP jogou bem ou mal, porque ninguém destacou os aspectos negativos desse jogo.
A extrema dificuldade desta vitória é um alerta para as dificuldades que ainda estão para vir. Para ganhar o 35 é preciso ganhar os jogos que faltam e ainda vamos ter jogos difíceis, a começar já pelo Braga, possivelmente o adversário mais difícil de todos os 7 que vamos enfrentar até final. Concentração total, precisa-se....

segunda-feira, 21 de março de 2016

Muito difícil como se esperava

Com um médio como central, com o Nelson Semedo de inicio quando ainda não está "no ponto", com o André Almeida no meio campo quando não o fazia desde o inicio do campeonato, com Salvio a titular sem ritmo, sem Mitrogolo, a jogar num campo sempre difícil, contra um Boavista aflito e cheio de anti-Benfiquismo e tínhamos a mistura completa para um jogo de elevadíssima dificuldade.

Confirmou-se!!! Foi um jogo muito mal jogado pelo Benfica. Criamos, a contar com o golo, três situações de golo e permitimos ao Boavista várias situações de perigo junto da baliza de Ederson.

O golo chegou como que caído do céu, há quem lhe chame a estrelinha de campeão mas espero que este jogo tenha servido de exemplo para alguns que acham que até ao final do campeonato vai ser um passeio. Não vai ser passeio nenhum e a campanha de que o calendário do Benfica é melhor que o do Sporting, teoricamente é, mais não é de que uma tentativa a ver se a equipa do Benfica se desleixa, se baixa a guarda. Não esquecer que vão andar a circular prémios por fora para quem empatar ou derrotar o Benfica.

Temos de chegar ao Porto vs. Sporting em primeiro com dois ou mais pontos de vantagem porque esse jogo pode entregar praticamente o titulo ao Benfica.

Muito concentração, muito empenho, muita garra, muito querer!! Temos de entrar em todos os jogos como se fosse a final da Champions!! Não podemos fazer com que os nosso adversários acreditem que é possível!!! Nós não nos temos de preocupar com eles, temos somente de fazer o que nos compete, que é ganhar os nossos jogos.

Aos dirigentes, silêncio absoluto!!! Deixem-nos a falar sozinhos!!! Fechem a conta do Tweeter ao João Gabriel, o Rui Gomes da Silva que deixe por agora as respostas ao triste Inácio porque agora é hora de nos fecharmos, de nos juntarmos em torno da equipa.

CARREGA BENFICA

#RUMOAO35




quarta-feira, 16 de março de 2016

CC



Portugal 16 de Março de 2016

CC, Campeonato e Champions, duas provas onde ainda estamos “sem saber como” segundo alguns experts da bola. Uns mais faladores assumem-no de forma ridícula, outros menos faladores e escondidos atrás de teclados de jornalistas, aplicam-no nos seus textos, títulos e destaques.
Se a vitória em casa do Zenit, sendo na Champions, teve o triplo sabor de recuperar a mística europeia benfiquista, significar a 5ª vitória na mesma edição da Champions e calar Villas-Boas que com um plantel muito mais valioso, sem o empurrão da arbitragem esta época acumulou 2 derrotas com o Benfica, o rival que cilindrou na época que esteve sentado na sua cadeira de sonho.
Antes que alguns me venham falar que na época passada perdemos os dois jogos com o Zénit, com outro treinador no Benfica, lembro apenas que os atacantes de então eram Lima e Derlei (ex-Marítimo), enquanto este ano são Jonas, Mitroglou e Jimenez. De facto era preciso dar a Rui Vitória as mesmas condições que foram dadas ao outro, diziam alguns inteligentes que têm acesso à comunicação social.
O Benfica tem menos hipóteses do que os ditos “tubarões” para seguir em frente na Champions, mas já se conseguiu o que era desejável e mais atingível para a actual realidade competitiva internacional. Enquanto nós, por opção da Direcção de Vieira e projecto do BES, pagamos 20 e tal milhões de euros em juros (só em juros, fora as amortizações), os outros clubes europeus investem em grandes jogadores dos que resolvem jogos em 2/3 oportunidades. E assim como os juros não marcam golos vamos assistindo ao sucesso dos outros, embora, e com alguma ponta de sorte (a somar à competência) possamos vir a ser bem sucedidos. Lembro como fomos eliminados pelo Barcelona em 2005 e pelo Chelsea em 2012, num caso dando muito luta (Moretto, o proscrito, defendeu um penalty do Ronaldinho), noutro caso sendo nitidamente prejudicados pela arbitragem em ambos os jogos.
Quanto ao campeonato, passada a barreira Tondela, apesar de um golo sofrido nas compensações e que era escusado, temos aí a saída mais difícil de todas as quatro que teremos de abordar até final. É uma saída de dificuldade elevada porque 1) o Boavista é uma equipa que joga com a virilidade excessiva tolerada pela arbitragem, pela Direcção que não protesta e pelos comentadores do Benfica que a não referem, 2) a virilidade excessiva e repetida, prejudica a forma de pensar e jogar de quem tem mais argumentos técnico-tácticos levando muitas vezes a que os nossos jogadores percam a concentração e optem por responder na mesma moeda, prejudicando o nosso jogo, 3) perdemos dois jogadores fundamentais, como sejam Jardel e Mitroglou, um porque ajuda a defender melhor, outro porque ajuda a marcar golos que são a chave do sucesso em qualquer jogo, 4) uma vitória significaria muita ilusão perdida pelos nosso rivais directos, pelo que eles irão pressionar a arbitragem (uma vez mais) via comunicação social.
Aliás o castigo aplicado pelo CD da Liga a Vieira (23 dias) pela única vez em que criticou a arbitragem (no jogo com o Rio Ave), comparando com os 19 dias aplicados a Bruno de Carvalho, que sistemática e repetidamente tem criticado os critérios dos árbitros, lançando suspeições sobre a sua idoneidade, na mesma medida em que Vieira foi directo e falou em “roubo”, vem provar o que tenho dito e subentendido muitas vezes: o “sistema” existe e Vieira apenas faz e dá a entender que o Benfica é respeitado, quando na realidade não é assim.
Esta ponta final do campeonato será pois mais do mesmo, em boa parte devido à inacção da Direcção e à interesseira opção em manter o silêncio perante ataques indecentes de vários quadrantes desportivos (não é só o SCP), uma opção que faz de Vieira uma espécie de Madre Teresa de Calcutá, reforçando a centralidade nacional da sua liderança e protegendo-o da divulgação de notícias eventualmente desagradáveis sobre os seus antigos negócios em vários ramos de actividade, incluindo o futebol na Alverca SAD. O “castelo de cartas” poderia ruir e isso era mau para muita gente que gravita nos interesses económicos do futebol dentro e fora do Benfica.
Ao Benfica restará sempre um activo inalienável: o 12º jogador. Os adeptos, os sócios, os fãs... É o sonho, a ilusão, o amor dos adeptos pelo clube, que galvaniza a equipa em muitos e muitos jogos difíceis. Para além da equipa, é apenas com isso que teremos de contar já no Bessa.

Novo Banco pressiona Manuel Damásio a pagar dívida

Esta é a noticia que meteu os lagartos em êxtase em mais um ataque histérico ao Benfica...

Se o Novo Banco não pressionou o Sporting a pagar uma divida de 55 milhões em Janeiro porque havia de pressionar o Manuel Damásio a pagar uma de 4 milhões? Será que o Damásio também pode fazer como o Sporting e adiar o pagamento da divida por 10 anos com 0% de juros?

Por mim, deveriam pagar todos o que devem, podendo haver negociação da divida mas com juros a pagar como toda a gente e não como o Sporting que é um caso à parte na sociedade. Por ventura será a única instituição no pais que tem uma divida bancária superior a 130 milhões de euros e que não paga juros por ela...

É preciso ser mesmo muito hipócrita para exigir aos outros aquilo que não conseguem exigir a eles mesmo...

terça-feira, 15 de março de 2016

Mais uma final ganha...

Mais uma final ganha no caminho para o titulo... Faltam vencer oito finais!!!

Não foi uma primeira parte e inicio de segunda parte brilhante mas fizemos um excelente jogo e mais do que suficiente para vencermos o jogo. Os jogos nas ressacas Europeias são sempre complicados e por isso não estranhei algumas desconcentrações.

Fica provado, mais uma vez, que a posição de Talisca e de Pizzi nunca pode ser a posição oito neste sistema. Simplesmente não têm agressividade, ou mentalidade, defensiva para tal. Se jogássemos num 4x3x3 poderiam ser perfeitamente o terceiro médio mas em 4x4x2 o Pizzi ou é ala, a vir para dentro, ou joga no apoio ao avançado. O Talisca ou joga no apoio ao avançado ou nas alas sendo que nas alas terá de ser trabalhado, à imagem de Gaitan.

De resto foi o habitual... Fejsa a mandar no meio campo, Gaitan a assistir, Jonas e Mitro a marcar e Pizzi bem nos apoios ao meio... aos poucos vamos tendo Nelson Semedo de volta, o Lindelöf continuou a estar bem e ELiseu começa a merecer a renovação.

Destaque para Salvio que com o passar dos treinos e minutos que vai tendo já começa a mostrar algum ritmo competitivo e parece estar cada vez mais solto e confiante. Pode ser um importante "reforço" para o que ainda aí vem.

Quero deixar aqui uma preocupação... Parece que Gaitan e Fejsa saíram com algumas queixas... Espero que não seja nada de grave mas o Benfica terá de fazer uma análise às lesões que assolaram o plantel este ano e tirar conclusões. Isto não se vê a acontecer nos rivais...

CARREGA BENFICA

#RUMOAO35

sexta-feira, 11 de março de 2016

Uma pergunta para Garay, Witsel e Hulk...

Meus caros, desportivamente as vossas mudanças foram boas para as vossas carreiras?

Eu sei que financeiramente foram muito boas mas não acham que sair de um Benfica ou FC Porto para irem para um clube sem qualquer expressão Europeia não terá sido um tiro no pé da vossa carreira?

Será que a vossa qualidade não daria para estarem noutro patamar competitivo? Noutra liga Europeia de maior visibilidade? Será que mais um ano ou dois e vocês não teriam outros clubes interessados? Mesmo que fossem clubes fora dos grandes de Espanha, Inglaterra ou Alemanha... Tipo clubes como o Atlético de Madrid(este fez-se grande nestas últimas épocas), Arsenal, Liverpool e etc... Será que não seria melhor um clube destes num destes países do que um clube lá na liga Russa, mesmo que pague muito bem? Será que o Zenit é melhor que Benfica e Porto? Terá mais dinheiro mas desportivamente serão assim tão superiores? Vocês ganhavam assim tão mal que foram a correr para a Rússia?

No último jogo o que vos terá passado pela cabeça ao verem o Benfica passar à fase seguinte? A vencer um Zenit de milhões mas como equipa parecem uma equipa de tostões?

Na minha perspectiva acho que vocês os três mereciam uma liga melhor, com mais visibilidade e acredito que poderiam chegar a clubes de topo Europeu... Nãos são os melhores do Mundo mas poderiam estar entre o lote dos melhores... Quando vejo Garay e Witsel a jogar num clube daqueles até me parte o coração, a sério... fico com pena porque eram jogadores que poderiam muito bem estar em clubes de topo... Se Rojo está no United...

Uma pena...


Os números fantásticos de Fejsa

Quando digo que Fejsa é o dono da posição seis não digo só porque sim ou porque é o meu jogador favorito ou assim...

É por isto:


quinta-feira, 10 de março de 2016

Este Benfica é um cubo de gelo...

O Benfica foi à gélida Rússia vencer o Zenit e gelar ainda mais os Russos. Isto depois de ter ido gelar Alvalade... Pode-se dizer que esta equipa é um cubo de gelo...

Esta equipa do Benfica pode não ser o Rolo Compressor do "cérebro", pode não ser o Benfica dominador e com muita posse de bola que RV deseja mas é um autêntico cubo de gelo. Digo isto porque em Alvalade, num ambiente quase de festejos de um campeonato, a equipa soube sofrer, soube aguentar os momentos de maior pressão do adversário e ainda lhe deu a estocada final, isto mantendo a serenidade, a coesão, sem ver jogadores perdidos em campo ou em desespero, com enorme sentido de organização.

Com o Zenit foi igual!! A equipa entrou para discutir o jogo mas quando chegou o momento de alguma pressão do Zenit o Benfica soube baixar linhas, manter-se organizado e aos poucos foi-se soltando novamente. O Benfica sofre o golo dos Russos e a equipa nem pestanejou... Manteve-se fiel ao seu jogo, à sua organização e o resultado foi a reviravolta no marcador. Esta equipa é um cubo de gelo a jogar!!! Acabaram as correrias desenfreadas que deram lugar a um jogo mais pensado e mais pausado mas isso não invalida que num repente o Benfica mude o ritmo sem que o adversário assim o preveja, criando dificuldades nesta mudança de ritmo de jogo. É um Benfica mais pragmático e que sabe ler o jogo como ninguém...

Ontem, quando o Zenit faz o seu único golo, tenho a certeza que na cabeça da malta do Zenit e do AVB era que o jogo já estava ganho, que a eliminatória estava ganha porque o Benfica ia cair face à pressão que o AVB sabia que a sua equipa iria fazer mas o Benfica manteve-se calmo, sereno, organizado, quase como se não tivesse sofrido o golo e lá foi, devagarinho, impondo o ritmo, o seu jogo e conseguiu aquilo que muitos não acreditavam ser possível, vencer o jogo...

Para mim, os homens do jogo são Samaris, Fejsa e Jiménez. O Samaris parece que já joga a central desde os infantis. Será que não temos ali um centralão? O Fejsa mostrou mais uma vez que é o dono da posição 6, Samaris que me desculpe mas Fejsa está uns furos grandes acima dele. Os posicionamentos de Fejsa são algo de fantástico!! E Jiménez mostrou que todos os jogadores podem ser importantes durante uma época. A espontaneidade dele no remate e a confiança para o fazer mostra que a equipa funciona como isso mesmo, uma equipa. Aquela confiança mostra que mesmo quem joga menos tem a noção que é muito importante para a equipa e que quando esta precisar deles eles terão de estar à altura e corresponder como correspondeu Jiménez.

Deixei para fim o AVB... Ele só ficou mal perante a jornaleirada ou se calhar não... Estou curioso para ver se os jornaleiros irão atacar o AVB por não ter sido patriótico porque por cá quem não torce pelas equipas Portuguesas lá fora não é bom Português...

No que me diz respeito, em relação ao AVB, eu estou como ele... Estou-me a borrifar até onde ele pode ir na sua carreira, desde que não venha para o Benfica. Estou-me a borrifar para o que diz, o que não diz, para o que faz e para o que não faz... Desejo-lhe em dobro aquilo que ele deseja para o Benfica...

Quanto à sua conferência de imprensa tenho a dizer três coisas:

  1. Em dois jogos marcou um golo e Portista como é, foi um golo à Porto, nasce de uma falta por marcar contra a sua equipa;
  2. Disse ele que o Zenit podia ter feito o 2-0 numa grande oportunidade lá do matacão da frente e não o fez e depois sofre o golo do empate que praticamente resolve a eliminatória. Eu dou o desconto do frio porque certamente deve-lhe ter congelado a ervilha e esqueceu-se que antes dessa tal grande oportunidade do matacão da equipa já o seu guarda-redes tinha feito uma fantástica defesa a um cabeceamento de Lindelöf a evitar o empate
  3. Como é que alguém que sofre três golos, dois deles em casa, que não consegue vencer nenhum dos jogos da eliminatória vem para uma conferência de imprensa dizer que merecia ter passado? Aquilo só pode ser do frio, de certeza...
Vamos lá ver quem nos calha em sorte...


quarta-feira, 9 de março de 2016

O campeonato começou agora...



Portugal 7 de Março de 2016

Uma vitória em Alvalade tão merecida quanto bafejada pela sorte que nos faltou no jogo contra o FCP, não só relançou o Benfica na luta pelo título como semeou o pânico no clube do “picareta falante” presidente do rival derrotado. Eles que pensavam que eram uma espécie de imbatíveis a nível interno, suposição alimentada por páginas e páginas de notícias “jeitosas” como aquela que “Jesus está mais perto do objectivo (ganhar 2 milhões se for campeão) ” ou “nunca uma equipa foi campeã depois de perder 3 clássicos/derbis”, etc., etc., fora as doutas opiniões dos painéis de trios da “vida airada”, que falam bem de futebol mas sem dizerem nada que interesse sobre o jogo em si mesmo.
O Benfica foi feliz, se calhar porque mereceu ser feliz. A atitude inicial foi muito positiva e proactiva, porque a equipa não se limitou a esperar pelo erro adversário mas soube pressionar o SCP no seu meio campo, forçando o erro. Como aquele de William Carvalho no lance que deu o golo de Mitroglou. Houve outros erros que não deram em nada, mas poderiam dar se o árbitro tivesse outro tipo de decisão, como o empurrão a Jonas dentro da grande área, ou a virilidade excessiva de Coates sobre Gaitan, também dentro da área.
A equipa do Benfica teve uma boa atitude, porque foi competente, mas também beneficiou do excesso de confiança dos adeptos do SCP que neste jogo fizeram o papel dos adeptos do Benfica antes do jogo com o FCP. Há demasiadas semelhanças para não deixar de registar este facto. Até no resultado.
Esta vitória aliada à derrota do FCP em Braga, um campo difícil onde conseguimos vencer e onde, para mim, coloca-nos em situação privilegiada para a luta pelo inédito tricampeonato nos últimos “não sei quantos anos”. E praticamente assegura a entrada directa na Champions.
Se a luta pelo campeonato era algo impensável em meados de Dezembro, quando empatamos na União da Madeira e ficamos a 7 pontos do SCP que jogava que se “fartava”, segundo a comunicação social, mas que depois foi perder 1-0 à União da Madeira que entretanto alugara um autocarro (com o Benfica “não”...). Já a entrada directa na Champions era um objectivo relativamente mais acessível mas que se afigurava custoso uma vez que o FCP ainda não tinha perdido para as competições nacionais e isso valorizava-lhes o potencial...
Hoje a realidade é a que se sabe. A equipa mais concretizadora do campeonato tem tido o seu sucesso relativo, é a melhor equipa na 2ª volta e com a vitória em Alvalade, na minha opinião entra na 3ª fase do campeonato: a fase da confirmação. Diria que a 1ª fase (10 jogos, 3 derrotas), a fase da “estrutura” que planeou a promoção de Gonçalo Guedes, Nélson Semedo e até Victor Andrade, terminou na recepção ao Boavista, com a primeira utilização de Renato Sanches (entrou aos 93 mn), para além do apagamento (por razões diversas) de todos os três nomes da formação que a “estrutura” havia lançado. Depois tivemos uma 2ª fase (15 jogos, 1 empate, 1 derrota) iniciada com a vitória em Braga onde as circunstâncias fortuitas que levaram à titularidade de Renato (abaixamento de forma ou castigos de Samaris, mais as lesões de Fejsa e Sálvio) acabaram por proporcionar outro tipo de jogo, mais musculado no meio campo e mais eficaz defensiva e ofensivamente. Diria que foi uma fase de transformação porque se alteraram quase todas as premissas do planeamento, embora devido a circunstâncias fortuitas, tendo-se encontrado uma melhor solução de jogo.
E entramos na 3ª fase como primeiros classificados, uma fase de confirmação, onde iremos fazer 9 jogos e onde seremos testados aos limites, no campo psicológico, físico e no jogo jogado.
O calendário reserva-nos 5 jogos em casa e 4 fora de casa. Contudo eu prefiro ver em “pacotes” de três jogos, a começar já com Tondela, Boavista e Braga enquanto o SCP joga com Estoril, Arouca e Belenenses. É fundamental vencer os nossos três jogos, já que o SCP poderá com mais facilidade ganhar os seus e como se sabe, em caso de igualdade pontual, eles têm vantagem no goal-average directo...
Uma coisa é certa: “os dados estão lançados” e nós temos vantagem sobre os rivais de 2 e 6 pontos. Daqui para a frente é tudo uma questão de competência e raça. Com ou sem lesões.

terça-feira, 8 de março de 2016

O que a descomunicação social escondeu...

O JJ disse no final do jogo que o Benfica jogou à equipa pequena, que não venceu ao mais fraco Benfica que defrontou esta época...

Pode não ter sido ao mais fraco mas que foi um Benfica desfalcado de 5 dos seus habituais titulares foi. E mais incrível é que nenhuma descomunicação social referiu isso. Não foi tema de debate e logo eles que são tão lestos a informar das ausências de jogadores importantes nas equipas adversárias do Benfica de forma a dar a entender que o Benfica tem a vida facilitada.

No sábado não jogaram por lesão, ou por ainda não estarem nas melhores condições físicas, 5 jogadores que seriam os donos dos respectivos lugares no 11 titular e que foram:

  1. Júlio César;
  2. Nelson Semedo;
  3. Luisão;
  4. Fejsa;
  5. Salvio.
Não esquecer que Gaitan ainda não está a 100%...

Ouviram alguém a falar nisto? Ouviram algum jornalista a confrontar o JJ dizendo que este defrontou um Benfica fragilizado pela ausência de metade da equipa titular?

O que seria do Sporting se entrasse em campo sem Patrício, João Pereira, William Carvalho e João Mário? O único ausente que vinha a ser titular era o Naldo... Imaginem estas equipas em campo...

Azbe Jug
Schelotto
Coates
Ewerton
Jefferson
Adrien
Aquilani
Bruno César
Ruiz
Teo
Slimani

Júlio César
Nelson Semedo
Luisão
Jardel
Eliseu
Fejsa
Renato
Salvio
Gaitan
Jonas
Miitroglou

Estão a ver o filme não estão?

Alguém valorizou o facto de o Benfica mesmo sem 5 titulares ter ido "roubar" a liderança ao Sporting no seu próprio estádio e na máxima força?