Campeões Nacionais 2014/2015

Campeões Nacionais 2014/2015

Siga-nos no Facebook

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Perspectivas



Portugal 1 de Fevereiro de 2017

Há meses que não sinto “pica” para escrever, sendo dominado por um sentimento muito simples: o Benfica é dos sócios e dos adeptos, não é meu, nem o que eu penso é mais importante do que o que os outros pensam.
Ao longo dos últimos meses assisti à re-eleição, melhor, ao plebiscito que reconduziu Vieira a Presidente, no que considero ser um processo agónico resultante da falta de vitalidade associativa ou resultante do impacto da verdade da mentira em que se tornou a gestão do Benfica e da sua poderosa marca desportiva e comercial. Mas como o Benfica não é meu, apenas tenho de aceitar. O Benfica é o que é, é muito pouco afinal mas é o Benfica. Na vida não nos podemos iludir com o valor de pessoas ou instituições, porque um dia desiludem-nos.
Não entendo o quase unanimismo em torno de alguém que faz obra mas não a paga, que contrata e dispensa jogadores como vulgar mercadoria com dispendiosos encargos de intermediação, que contrata um motorista pessoal que depois é apanhado com 9 kg de cocaína que revendia, algumas vezes, no interior das instalações do estádio da Luz, que gostava tanto desse motorista que o promoveu a director para poder auferir um salário maior, alguém a quem o FCP em comunicado lembrou que “Coca-Cola não se escreve com 4 letras apenas”, que raramente assiste a um jogo das modalidades, mesmo em fases finais, que não consegue explicar quando se dará o “break event point” do projecto empresarial do Benfica aprovado em Assembleia Geral por larga maioria em 21 de Fevereiro de 2000, e muito menos explica como é que vendendo tantos jogadores e por tantas dezenas de milhões, hoje temos uma divida financeira superior à que tínhamos à 4 anos, enfim, alguém que vai navegando entre sucessos ou fracassos desportivos como uma enguia difícil de agarrar, entenda-se, difícil de responsabilizar. Mas como disse antes, não entendo, nem tenho de entender. O Benfica é isto, o Benfica não é meu.
Estarei a ver mal qualquer coisa ou esta minha forma de ver estará associada à minha natureza “desprezível”, o que é certo é que mais de 95% dos votantes expressaram o seu apoio à reeleição do Sr.º Vieira. O que significa que acham que 1) está tudo bem, ou 2) não há melhor. Muito mau em qualquer dos casos.
Posto isto que se pode dizer das últimas incidências futebolísticas, em particular, de alguns maus resultados onde existiram tantos erros grosseiros de arbitragem como nas duas últimas épocas juntas?
Pois nada também. Como nada ou nenhuma é a reacção oficial da Direcção do Benfica, o que aliás é o padrão dominante da gestão do Sr.º Vieira. Em 15 anos contam-se pelos dedos de uma mão (e sobram dedos) as vezes que a Benfica SAD se expressou formalmente contra os “abusos” das arbitragens.
Portanto se a Direcção nada reclama e se o Sr.º Vieira foi reeleito/ plebiscitado com mais de 95% de votos, que importa o que pensa de tudo isto, o comum do adepto/ sócio do Benfica que não entende o unanimismo em torno de Vieira? Nada... Cruzar os braços e assistir à destruição da equipa que até há bem pouco tempo batia recordes sobre recordes é a forma mais adequada de levar as coisas. E sempre evita algumas insónias.
Entretanto os moços de recados, entenda-se, a máquina da propaganda de Vieira, através do disponível CM (seguir-se-ão outros na órbita de Joaquim Oliveira e influências de Jorge Mendes) já fizeram circular que Vieira acompanha a crise do futebol, embora à distância. À distância, em Inglaterra, não se sabe a fazer o quê. Mas está a acompanhar (dizem). Também estava em Moçambique com seu amigo Salvador no dia em que o Benfica perdeu com o Braga na meia-final da Taça da Liga, e também estava no casamento do amigo Mendes no dia em que o Benfica jogou a Eusébio Cup no México, em Monterrey, onde perdemos 3-0. Mas que interessa? Ele está sempre a acompanhar a equipa, dizem os moços de recados.
O que é certo é que este tipo de tretas “cola” nos benfiquistas, sendo disso um sinal evidente, o unanimismo em torno dos méritos de Vieira e a falta de alternativas. O que também permite concluir que quem poderia ser alternativa concorda com este rumo, com esta estratégia, com esta personagem.
O Benfica é isto. Felizmente não é meu. Siga a marinha...

2 comentários:

  1. Nao me recordo de ver a tua candidatura para competir com o LFV, tiveste medo, agora é só esperar para próxima, enquanto isso, vai preparando o programa para o teu Benfica, dentro de 3 anos, aparece.

    ResponderEliminar
  2. Eu quando tenho azia normalmente tomo Kompensan ou Eno.

    ResponderEliminar

AMIGO/A VISITANTE

Não comente como ANÓNIMO porque pode haver quem deseje responder-lhe e assim continuar o diálogo.

Clique em NOME/URL e escreva o seu, ou um nome, ou um nik, não necessitando de escrever nada no 2.º rectângulo, deixando-o em branco.
A seguir clique em ... continuar e... comente.

Volte sempre. Obrigado