Siga-nos no Facebook

terça-feira, 16 de julho de 2019

A decadência do Clero, com Marcano e Óliver ao barulho...

 
A política desportiva do FC Porto actual é alimentada pelo desespero, comunicação falaciosa e bons negócios a parecer miragens. 
Algo não vai bem quando se pensa "se não ganhamos este ano, para o ano estamos lixados"... mas no dragão todos sabemos, venha o primeiro que questione... 

Parece-me consensual que actualmente o FC Porto faz mais negócios a la Sporting, do que a la Benfica.
Nakajima, Diaz, Hêrnani, Herrera, Adrián Lopez, Brahimi, Marcano e Óliver são apenas alguns exemplos.

Falando dos dois últimos...

Marcano sai a custo zero e regressa como herói aos 32 anos por 3M€ e ordenado inflacionado, sendo mesmo dado como exemplo aos mais novos, como um dos capitães no plantel. Bravo!

Óliver Torres...
Tem actualmente 24 anos e custou há dois anos 20M€ por 85% do passe sendo um dos jogadores mais caros de sempre do futebol português... Foi vendido agora, pelo tal Mendes dos 10%, por 12M€ (actualmente avaliado em 17M€ pelo transfermakt).

Hilariante é a comunicação que o Porto põe a rolar, com a imprensa a agarrar sem questionar...


Ora a 9 de fevereiro de 2017...

Pensem comigo...
Então o contrato do Óliver com o FC Porto começa a 31 de dezembro de 2017 (como acima foi comunicado) é vendido passado 1 ano e 6 meses porque existia risco de uma saída a custo zero? 

Quantos anos foram propostos ao Óliver? 

De duas uma e ambas com incompetência no meio... Ou o FC Porto fez a sua maior contratação de sempre e propôs-lhe um contrato de curta duração (escândalo), ou está a passar um atestado de burrice e incompetência a toda a imprensa nacional.

Quanto aos adeptos do Porto, não consigo ter pena, porque quem ajuda a perpetuar este estado de coisas durante anos sem questionar nada, obviamente tem uma grande quota-parte da culpa...