Siga-nos no Facebook

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Prémios em Dinheiro da Liga dos Campeões



Falou-se muito durante este mês sobre quantos milhões iria receber o FC Porto com a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões. De facto, foi interessante verificar que o ano passado, com o Benfica de Rui Vitória, era muita a desconfiança sobre o clube e sobre a capacidade do Benfica em entrar na Liga dos Campeões mas este ano parecia que o Porto assegurando o segundo lugar tinha entrada directa. Cheguei a ouvir comentadores dizer que era "estranho" ver o Porto a disputar estas pré-eliminatórias, quando na verdade o Benfica, a par do Barcelona, Bayern de Munique e Real Madrid, são as únicas equipas que estão há 10 anos consecutivos na fase de grupos da Liga dos Campeões. Adiante.

Aquilo que pretendemos com esta publicação é meramente informar. Fala-se muito sobre os Rankings da UEFA, muito sobre milhões que a Liga dos Campeões podem trazer aos clubes, mas afinal que rankings são esses e quantos milhões são esses? A UEFA tem prémios em dinheiro ajustados de 3 em 3 anos, o ano passado houve um aumento gigante nesses prémios. 2018-2019 foi uma época de expansão nesse campo. E estes prémios em dinheiro estarão em vigor por 3 anos, ou seja, 2018-2019, 2019-2020 e 2020-2021.

Primeiro que tudo, qual o total de prémios distribuídos pela UEFA nas três competições que realiza (Liga dos Campeões, Liga Europa e Supertaça Europeia): 3,25 mil milhões de euros.

Retirando custos de organização e administrativos (295M€) e pagamentos de solidariedade (227,5M€) fica-se com um total de  2,73 mil milhões de euros. Desses, 6,5% são retirados para o organismo que que tutela as competições (UEFA) e os restantes 93,5% para distribuir pelos clubes participantes. Sendo esse total de: 2,55 mil milhões de euros.

Agora vem a parte interessante e importante: desses 2,55 mil milhões de euros, 2,04 mil milhões de euros são para distribuir pelos participantes da Liga dos Campeões e Supertaça Europeia e 510 milhões de euros são para os clubes participantes na Liga Europa.

Como podem verificar a diferença é quatro vezes mais receitas para a Liga dos Campeões ainda mais vincada quando nos lembrarmos que a Liga dos Campeões só tem 32 clubes com que distribuir e a Liga Europa tem 48.

Retiremos então o valor para a Supertaça Europeia e também os 30 milhões de euros que são distribuídos pelos 12 clubes que são eliminados na fase de playoff e que recebem 2,5M€ cada. O valor que é distribuído aos clubes que participam na Liga dos Campeões da fase de grupos para a frente, este ano, é de 1,95 mil milhões de euros.

Essas receitas são divididas em quatro diferentes tipos:
  1. Taxa de Entrada na Fase de Grupos - 488M€
  2. Montante Fixo de Performance - 585M€
  3. Distribuição Baseada no Ranking de Performance a 10 anos - 585M€
  4. Direitos Televisivos (market pool) - 292M€

 1. Taxas de Entrada na Fase de Grupos

Fácil perceber como funciona, cada equipa que consiga aceder à fase de grupos da Liga dos Campeões tem direito a uma fatia do bolo. Igual para todas as equipas. Ou seja, dividir o montante por 32 equipas que perfaz um total de 15,25M€.

 2. Montante Fixo de Performance 

 - Vitória num jogo da fase de grupos: 2,7M€
 - Empate num jogo da fase de grupos: 0,9M€

(os valores que não forem distribuídos devido à possibilidade de haver empates durante a competição serão distribuídos por todas as equipas no final da fase de grupos proporcionalmente ao número de vitórias que obtiveram)

 - Qualificação para os Oitavos-de-Final: 9,5M€ 
 - Qualificação para os  Quartos-de-Final: 10,5M€
 - Qualificação para as Meias-Finais: 12M€
 - Qualificação para a Final: 15M€

O vencedor da Liga dos Campeões acresce o montante de 4M€. Os dois clubes que chegarem à Supertaça Europeia receberão mais 3,5M€ e o vencedor receberá um adicional de 1M€.

 3. Distribuição Baseada no Ranking de Performance a 10 anos

Aqui é que poderá começar a haver algumas dúvidas e a complicar.  Este ranking é actualizado todos os anos, retirando um ano e adicionando o ano que passou. Este ranking NÃO É o utilizado para a distribuição de clubes nos potes das competições europeias. Esse é um ranking a 5 anos que apenas tem em conta a performance da equipa nos últimos 5 anos.

É possível consultar todos esses rankings na página da UEFA, no entanto deixo aqui dois links que eu uso regularmente e que é a de uma base de dados com todo o tipo de informação sobre competições europeias e futebol.

Este é o ranking utilizado para a distribuição de receitas do ano 2019-2020. Podem verificar que o Benfica estava posicionado em 10º lugar, mas três equipas acima não estão na Liga dos Campeões (Man United, Porto e Arsenal) e portanto para a distribuição deste montante o Benfica é o 7º clube a receber mais. Para além da performance desportiva nos últimos 10 anos, este ranking engloba pontos para os clubes que já venceram competições europeias:


O Benfica por exemplo tem 8 pontos correspondentes a duas vitórias na Champions Cup (Taça dos Clubes Campeões Europeus) antes de 1992-1993.

Os 585M€ são divididos em porções de 1,108M€. O último clube do ranking receberá essa porção e é adicionada uma porção idêntica ao acima da tabela e assim sucessivamente. Na prática e para ser mais fácil de entender temos a seguinte tabela:













Assim, tomando o Benfica como exemplo, irá receber 28,808 milhões de euros por estar no 7º lugar do ranking. Caso o Porto estivesse em prova iria receber menos 1,108M€.

Por curiosidade apenas, poderão verificar o ranking a 5 anos que serve de base para a formação dos potes das competições europeias no seguinte link (embora as regras para composição dos potes tenha mais que este ranking como "receita"):

UEFA Ranking de Clubes 5 anos













 4. Direitos Televisivos (Market Pool)

Esta parte das receitas foi complicada para mim de analisar. Isto porque não encontrei especificações suficientes em lado nenhum para poder assumir valores concretos. Aquilo que posso dizer é o seguinte.

 - Metade dos 292M€, ou seja 146M€, é pago proporcionalmente ao número de jogos que cada equipa faz na Liga dos Campeões. Ou seja, uma equipa que chegue até à final receberá certamente mais que uma que só faça os jogos da fase de grupos. A dúvida será se o cálculo é feito de forma directa ou não, assumindo que é e tendo em conta que existem 125 jogos na Liga dos Campeões entre fases de grupos e jogos a eliminar, temos que cada equipa recebe por cada jogo: 584 mil euros.

Ou seja, uma equipa que faça apenas os seis jogos da fase de grupos irá receber, referente a esta metade do market pool 3,54 milhões de euros.

 - A outra metade, ou seja os outros 146M€, são pagos tendo em conta o mercado nacional. Ora aqui é que está o problema com o cálculo. Estes 146M€ são divididos pelos países tendo em conta o valor do mercado de televisão nacional e depois essa percentagem é distribuída aos clubes consoante a sua performance do campeonato nacional anterior. Na prática, o campeão recebe uma maior percentagem desta parcela que o que ficou em segundo lugar e daí em diante.

  Embora não tenha valores sobre esta parcela do market pool concretos e os valores da época de 2018-2019 só serão conhecidos lá para Novembro ou Dezembro de 2019, podemos estimar que são valores provavelmente a rondar os 5 milhões de euros. Mais milhão menos milhão não será assim tanta o peso do market pool quando comparado com outras receitas da Liga dos Campeões. Seja como for, o facto do Porto ter sido eliminado da competição significa que o Benfica irá receber a parcela referente à totalidade do market pool português. O que na prática significará que irá receber, provavelmente perto de 3 milhões de euros a mais do que receberia se tivesse com o Porto na Champions (terei muito interesse em verificar os valores de 2018-2019 do market pool português para verificar qual será a perspectiva do Benfica nesse campo).

Grosso modo, não será descabido afirmar que o Benfica pode vir a receber perto de 10 milhões de euros referentes ao market pool no seu total, entre a metade proporcional a jogos e a outra metade tendo em conta o mercado português.

Resumo Final

Obviamente as receitas estão sempre muito condicionadas pela performance desportiva. Por isso e para facilitar a leitura fiz uma pequena tabela com as possibilidades existentes:














Daqui se conclui que, fazendo contas bastante arredondadas mas que não devem estar muito longe das reais (market pool sendo a possível diferença), o Benfica receberá no mínimo cerca de 54 milhões de euros pela participação na Liga dos Campeões de 2019-2020. Isto caso se verifique um fracasso absoluto na performance da equipa e percamos os 6 jogos. Se tivermos em atenção que normalmente é necessário pelo menos 9 pontos para passar a fase de grupos e colocando como mínimo para passar 3 vitórias (é possível passar com menos pontos e menos vitórias), podemos verificar que caso o Benfica passe esse montante será sempre muito próximo dos 70 milhões de euros. Esse valor pode ascender a quase 80 milhões de euros (valor muito próximo daquilo que o Porto encaixou a época passada) caso o Benfica hipoteticamente vença os 6 encontros.

Deixo a nota de que estes valores não incluem a distribuição dos valores referentes aos empates durante a fase de grupos, assim como não engloba os valores de venda de bilhetes que está numa rubrica diferente.

-----------------------------------------------

Acho que estes número revelam o quão importante é a entrada na Liga dos Campeões e o quão devastador foi a eliminação do Porto para o clube da fruta nas suas finanças. Ainda para mais quando garantiram ao Benfica mais um encaixe na ordem dos 5 milhões de euros.


No Facebook em https://www.facebook.com/universobenfiquista
No Twitter em https://twitter.com/UnivBenfiquista