Siga-nos no Facebook

domingo, 15 de setembro de 2019

Benfica 2 x 0 Gil Vicente - Rescaldo


Tinha referido na antevisão que seria sempre um jogo complicado porque me parece que o Gil Vicente tem uma equipa de qualidade. Verificou-se. Tinha também dito num dos comentários na publicação da antevisão que o Benfica geralmente tem sempre uma oportunidade flagrante de golo no início do jogo ou da segunda parte. Verificou-se. De facto quando o Benfica consegue marcar nessas alturas os jogos tornam-se mais fáceis e é isso que tem sido característica deste Benfica de Lage.

1ª Parte

Começámos o jogo e nos primeiros 10 minutos tivemos duas oportunidades flagrantes de golo, uma após um canto do Pizzi que o Ferro falha a baliza num cabeceamento muito forte ao segundo poste e poucos minutos depois numa bola recuperada que culmina numa falta sobre o Pizzi na área e consequente penálti. Que o Pizzi, surpreendentemente não converte. Duas oportunidades claras sem golo e o jogo começa a ser aquilo que muitos esperavam e que eu não imaginava. Pensei que o Gil de Vítor Oliveira fosse uma equipa de maior posse e com mais agressividade, nada disso. Uma equipa muito passiva, com onze jogadores atrás da linha da bola com um bloco tremendamente baixo (35-40 metros) e com uma ou outra saída rápida principalmente pelo Kraev. Um Gil a tentar travar o ritmo de jogo com inúmeras paragens para "assistências" que depois não se verificavam, pontapés de baliza demorados, lançamentos retardados, basicamente tudo o que podiam para travar o ritmo de jogo eles faziam. Ao contrário de muitos benfiquistas eu nunca considero que é um mau jogo se a equipa consegue espaços, mesmo não criando oportunidades flagrantes, ainda para mais a jogar com este tipo de equipa. A verdade é que mesmo assim acabamos por ter mais duas oportunidades claras de golo, primeiro com um centro do Rafa que isola Pizzi ao segundo poste e que só uma grande intervenção do Denis e um azar do RDT na recarga não inaugura o marcador e depois o lance do primeiro golo. Tremenda abertura do Taarabt, grande desmarcação do cepo do André Almeida (para quem só hoje me leu, é ironia) e mais uma assistência para ele. Os jogadores adversários estão focados em não deixar marcar os avançados do Benfica e para não os deixarem preferem marcar eles mesmos.

1-0 ao intervalo.

Para mim um jogo aceitável. Normal da equipa que com Bruno Lage me parece sempre que a qualquer momento pode marcar. 

2ª Parte

Lembram-se quando referi que temos sempre uma oportunidade nos primeiros minutos? Bem a segunda parte começa com uma alteração nos cantos. Grimaldo marca o canto à direita e Pizzi aparece ao segundo poste para fuzilar o guarda-redes e dar o 2-0. Curiosa alteração, o Gil deixa o Pizzi completamente sozinho, quiçá sem saber que tinha de marcar visto ser Pizzi o marcador de cantos do Benfica e golo.

O jogo a partir daí acabou. Jogo controlado com bola, o Benfica teve mais duas ou três situações de golo assim como o Gil com duas bolas do Kraev, uma para fora outra resolvida pelo Odysseas. Soubemos mandar no jogo e manter a bola controlada, foram bons 30 minutos finais para uma equipa que na terça-feira terá um jogo importantíssimo contra uma equipa alemã que acaba de empatar com o Bayern de Munique. Uma equipa que jogou também com 3 centrais, assim como o Gil, ou Belenenses, ou Sporting... Começa-se a ver cada vez mais isso. Que na prática significa muitas vezes jogar com uma linha de 5 quando não têm bola e saída a 3 quando têm. Veremos como jogam na terça na Luz.


Análise aos Jogadores (Nota 0 - 10)

Vlachodimos (6) - Jogo tranquilo. Teve uma excelente saída a uma desmarcação do Kraev que evita o golo e pouco mais. Jogo com muito pouco trabalho.

André Almeida (7) - É um tremendo jogador. Há muito que sou fã dele e cada vez me parece daqueles que só um cego não vê o que dá à equipa. Bom a defender, certinho a atacar, lateral com mais assistências do campeonato passado e para lá caminha este ano. Foi dele a assistência para o primeiro.

Rúben Dias (6) - Nenhum dos centrais teve muito trabalho. Cumpriu sem grandes sobressaltos.

Ferro (6) - Assim como o Rúben, não teve trabalho e cumpriu quando foi chamado. Quando Kraev caía nas costas era complicado mas não comprometeu. Ao fim de 900 minutos lá fez uma falta.

Grimaldo (7) - Sempre incisivo, sempre pronto para sair no 1 contra 1. Teve várias iniciativas no flanco que mostraram qualidade. Foi dele o centro teleguiado para o golo do Pizzi no inicio da segunda parte.

Fejsa (6) - Vários meses sem competição dão para justificar alguma falta de pressão ou intensidade quando tem a bola mas em tudo o resto é o Fejsa do costume. Posicionamento defensivo, capacidade de recuperação, pressão alta, dobrar os laterais....Cumpriu tudo aquilo que lhe foi pedido a nível defensivo.

Taarabt (7) - Mais um excelente jogo do marroquino, cada vez mais entrosado com a equipa e a perceber as movimentações do Pizzi, Rafa, Grimaldo e André. Passe soberbo para o André no primeiro golo. Pura classe.

Rafa (6) - Jogo normal. Nada condizente com a qualidade que o Rafa tem demonstrado. Teve menos capacidade de explosão, provavelmente devido ao pouco espaço que o Gil deu. Nunca comprometeu e quase fazia uma assistência primorosa para o Pizzi no primeiro tempo.

Pizzi (8) - Sou parcial. Assim como André Almeida. Acho Pizzi cada vez mais decisivo no jogo do Benfica. É uma máquina. Faz tudo! Foi dele a autoria de grande parte, senão todas, das grandes oportunidades do Benfica. Canto para a cabeçada do Ferro, foi ele que sacou o penálti nos primeiros minutos (infelizmente foi ele que falhou e acho que o RDT lhe pediu para marcar), foi dele mais uma grande oportunidade ainda na primeira parte, é dele o segundo golo... Faz tudo o que a equipa precisa para vencer. Que continuem a dizer que o BF vale 70 milhões e deixem o Luís Miguel quieto no Benfica.

Seferovic (5) - Continua trapalhão. Continua a ser o mesmo Seferovic que era a época passada. Trabalhador e esforçado. Não fez um jogo brilhante. Desta feita nem foram muitos os golos que falhou.

RDT (5) - O desespero impera. Vê-se claramente. No primeiro golo vê-se a frustração do espanhol quando mais uma vez lhe tiram o golo. Pediu ao Pizzi para marcar o penálti mas claramente o Pizzi não deixou. Cada vez mais me dá a sensação que não joga como segundo avançado, tirando o jogo com o Sporting, e joga ao lado do Seferovic. Precisa rapidamente de marcar para ganhar confiança. Continuo a dizer, é craque.

Caio Lucas (4) - Não jogou muitos minutos mas não deixou de ter movimentações interessantes. Bons apontamentos mas que não mudaram muito o rumo dos acontecimentos.

Jota (4) - Assim como o Caio Lucas, não teve muito tempo para mostrar serviço, embora continue a ser uma aposta firme do treinador. Também teve algumas boas movimentações e arranques, é claro o talento que tem, precisa de trabalhar mais nos aspectos mais tácticos do jogo para ser um grande segundo avançado.


Apontamentos Finais

Um jogo sem grande história em que o Benfica vence com naturalidade, face à superioridade da sua equipa. E que bom que são estes jogos. Uma "normalidade" dos últimos anos. Não foi uma grande exibição, foi um quanto baste num jogo antes de um desafio importante a meio da semana. Poucos jogadores se destacaram ou merecem grande destaque, Pizzi, André Almeida, Taarabt ou Grimaldo para mim os únicos que estiveram ao seu nível.

Melhor em campo: Pizzi. Mais um golo. Várias boas movimentações e oportunidades. Continua a calar os benfiquistas a sério ou de gema.

Já agora, destaque para uma boa arbitragem num jogo que nada teve de difícil decisão. Quando jogadores e árbitros ajudam, é tudo muito mais simples.