Siga-nos no Facebook

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Finanças dos 3 Grandes 2018-2019


Esta será a minha primeira rubrica do género na blogosfera. Comecei a frequentar blogues associados ao nosso clube muito por culpa das rubricas que existiam deste género mas que entretanto foram desaparecendo. Não sou de todo alguém com formação na área das Finanças ou Economia, não quero com esta rubrica colocar-me como conhecedor aprofundado dos temas mas quero acima de tudo informar. Muitos dos que lêem as publicações do Universo Benfiquista e mais concretamente as minhas, sabe que acima de tudo gosto de trazer informação a quem nos lê, especialmente aos benfiquistas.

Espero com esta publicação trazer um pouco de esclarecimento quanto ao estado financeiro de cada um dos 3 grandes. Vou apresentar dados do último exercício, época de 2018-2019, assim como alguns valores dos últimos 5 anos e também dos últimos 20 anos (agrupados de 5 em 5). Espero que com isso possam ficar mais esclarecidos sobre como tem sido a evolução dos diversos clubes nos últimos anos, quanto ao activo, passivo, capital próprio, rendimentos totais, rendimentos operacionais, custos com pessoal, etc. Obviamente não irei colocar tudo aquilo que são rubricas do relatório e contas de cada clube, mas sim aquilo que considero relevante.

(todos os valores são em milhões de euros)

2018 - 2019

- Rendimentos e Custos Totais


Olhando para os valores globais de rendimentos e custos, assim como síntese de resultados líquidos, no fundo aquilo para onde toda a gente olha quando se está a fazer um balanço da época a nível financeiro, podemos verificar que o Benfica continua a ser o clube com melhor balanço. Tem um resultado líquido de quase 30M€, com o Porto a voltar aos valores positivos e o Sporting a manter-se em território negativo embora melhorando bastante de quase 20M€ de prejuízo para 7,9M€.
Destaque para o facto do Sporting ter rendimentos muito inferiores aos do Benfica e Porto e para o facto do Porto ter valores de rendimentos totais superiores aos do Benfica o que é algo que nos últimos 10 anos quase nunca se tinha verificado.

 

- Rendimentos e Custos Operacionais


Os rendimentos operacionais excluindo resultados com passes de atletas são elucidativos de quanto a UEFA pesa nas finanças dos clubes portugueses. O Benfica e Porto que tiveram acesso aos milhões da Liga dos Campeões vêem esses rendimentos disparar, enquanto o Sporting não chega a metade dos valores apresentados pelos outros dois grandes. Muitas rubricas nos diferentes relatórios e contas são difíceis de entender, por exemplo os direitos televisivos (que não coloquei no quadro para não se fazer comparações directas) para o Benfica apresentam perto de 100M€ em rendimentos, a rubrica destinada a esse efeito no R&C do Porto é de pouco mais de 40M€ e no Sporting de 24M€. Não acredito que a diferença de receita com direitos televisivos entre Benfica e Sporting seja de 24M€ para 100M€, portanto aquilo que é colocado nessas rubricas num e noutro relatório não será a mesma coisa. Seja como for, globalmente verifica-se que Benfica e Porto têm rendimentos muito superiores ao Sporting e isso tem impacto directo na capacidade do clube em investir. O Porto na época passada apresentou valores de mais de 80M€ na UEFA algo que este ano não irá conseguir chegar nem a metade, o investimento do inicio da época pesará e muito no Relatório do ano que vem e o próprio clube já afirma precisar fazer mais de 65M€ em mais valias na transacção de jogadores. O Benfica nesse aspecto não deverá ter problemas, aquilo que projectou para a época deverá ficar perto daquilo que irá garantir só com a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. A diferença de resultados operacionais explica-se essencialmente pelas diferenças de valores nos rendimentos das competições europeias.


- Rendimentos e Custos com Atletas


Neste campo haveria muita coisa por onde pegar, poderíamos verificar que jogadores foram vendidos, que percentagens de passes, que valor de comissões, etc. Obviamente teríamos assunto para uma publicação só sobre isso, fazendo um apanhado global podemos verificar que todos os clubes tiveram saldo positivo no final do ano quanto a transacções de atletas diz respeito. O Benfica e Sporting tiveram resultados na ordem dos 33M€ e o Porto perto dos 6M€.O Porto foi quem mais investiu e nestes custos com atletas não estão grande parte do investimento feito para esta nova época de 2019-2020. No caso do Benfica é ao contrário, já que o dinheiro do João Félix ainda não entra neste exercício. O Sporting foi quem menos investiu na contratação de jogadores, no entanto é espectável que esse valor aumente este ano face ao investimento feito pelo clube nesta janela de transferências.


- Resultados e Custos Financeiros e Investimentos


Nesta rubrica é possível verificar quais os custos financeiros que cada clube tem. O Benfica é o clube que melhor rendimentos tira de investimentos e o Porto é o clube que mais custos tem. No geral nenhum clube consegue ter um resultado financeiro positivo, natural face às dividas financeiras que todos eles têm.


- Activo, Passivo e Capitais Próprios


Depois do resultado líquido dos exercícios são as rubricas que mais interessam aos sócios e simpatizantes. O passivo foi durante muito tempo alvo de muitas criticas no Benfica, ultimamente têm-se esbatido, muito pela franca melhoria dessa rubrica no nosso clube.

De um ponto de vista objectivo o Benfica é de longe o clube com mais activo, ultrapassando novamente a barreira dos 500M€. O passivo, como já referi, tem vindo em franca melhoria e é neste momento o clube com menos passivo dos três grandes (contabilizamos como passivo os VMOCs até serem recomprados). Tendo um passivo a rondar os 385M€ e um activo os 500M€ o Benfica é o primeiro clube dos três grandes finalmente a atingir em capitais próprios o valor de capitais sociais da SAD. Ou seja, neste momento a diferença entre activo e passivo (116,2M€) já ultrapassa o capital investido pelo clube na SAD. O capital social da Benfica SAD situa-se nos 115M€ actualmente.

Quanto a Porto e Sporting, continuam com capitais próprios negativos, sendo o caso do Sporting particularmente alarmante, contabilizando os VMOCs poderíamos estar a rondar os 150M€ em capitais próprios negativos.





Últimos 5 anos (2014-2019)

Neste segmento iremos disponibilizar os valores dos três grandes nos últimos 5 exercícios financeiros, quanto a resultados líquidos, activos, passivos e capitais próprios. Na prática será interessante perceber a evolução destas rubricas nos últimos anos.




O Benfica é o único dos três clubes que apresenta resultados positivos nas 5 épocas, mais concretamente nos últimos 4 anos com valores sempre acima dos 20M€. No caso de Porto e Sporting são mais as vezes que apresentaram prejuízos. Destaque para o Porto que durante 3 anos consecutivos apresentou valores absurdos, chegando a um valor de 121,9M€ de prejuízo acumulado. O Sporting apresentou um valor positivo de resultado em 5 anos.


No que diz respeito a activo verifica-se que não existe nenhuma tendência vincada, ou seja, tem anos que sobe, outros que desce e vai variando conforme a venda de jogadores. Como todos sabemos, o activo nas SAD são bastante "fictícios". Isto porque os maiores activos que as SAD têm são os jogadores e muitos deles estão com um valor muito inferior ao real. Basta pensar que os jogadores da formação contam zero para o activo. 


Quanto ao passivo podemos verificar que existe um tendência óbvia de diminuição do Benfica, enquanto existe uma tendência de grande subida no Porto e de alguma subida no Sporting. Mesmo que no caso do Porto se tenha verificar uma descida neste último ano.


Esta tendência de descida do passivo no caso do Benfica e de subida no caso dos restantes tem impacto directo na leitura que se pode fazer dos capitais próprios de cada um. Com o activo do Benfica a crescer e o passivo a diminuir, os capitais próprios nos últimos 5 anos dispararam de 0 para 116M€, o que na realidade significa que a diferença entre activo e passivo nos últimos 5 anos no Benfica aumentou positivamente em 116M€. Notável.

No Porto a tendência é exactamente a oposta, passou de valores de capitais próprios positivos para valores extremamente negativos, havendo uma diferença nos 5 anos de quase 118M€ negativos. Assustador.

O Sporting com o impacto das VMOCs coloca os capitais próprios em patamares loucamente negativos. Tendo esse valor oscilado em 5 anos na ordem dos 30M€ negativos. Preocupante.



Grupos de 5 em 5 anos (últimos 20 anos)

(valores retirados das publicações do Benfica Eagle do NGB e actualizados com os anos mais recentes)




Fazendo uma análise superficial dos valores de rendimentos e custos operacionais, assim como de resultado líquido ao longo dos últimos 20 anos, e agrupando os valores de 5 em 5 anos, é possível verificar as diferenças gritantes entre os três clubes. Na primeira década dos anos 2000 podemos verificar que o Porto é o clube com mais rendimentos operacionais dos três e também aquele que mais custos tinha. Todos os clubes mesmo assim mantinham resultados negativos. Na primeira metade da segunda década (10-15, coincidindo com a chegada do JJ) o Benfica ultrapassou o Porto em rendimentos e custos e os primeiros bons resultados desportivos chegaram. Nos últimos 5 anos, podemos constatar os rendimentos do Benfica a superaram em muito os do Porto e o all-in do Porto nos custos, superando o Benfica mesmo quando os rendimentos não são semelhantes. O Benfica mantém proveitos operacionais equivalentes aos seus custos operacionais enquanto no Porto os custos operacionais são muito superiores aos rendimentos equivalentes. O Sporting no que a rendimentos e custos diz respeito, como se pode verificar nos quadros, é de outro campeonato. Os últimos 7 anos do Benfica equivalem em receitas aos últimos 20 anos do Sporting.

Os resultados líquidos, como no gráfico seguinte é possível visualizar, mostram uma evolução muito positiva num dos clubes (Benfica), uma evolução bastante negativa (Porto) e uma evolução muito oscilante (Sporting).


Por fim, se juntarmos os resultados líquidos dos últimos 20 exercícios dos três clubes, chegamos a um gráfico curioso para o nosso clube. O Benfica regista um valor acumulado de ZERO. Sporting e Porto apresentam valores assustadores, com resultados líquidos próximos ou superiores a 200M€.



Conclusões e Apontamentos Finais

1 - Olhando para o resultado líquido do exercício de 2018-2019 o Benfica goleia. Os resultados são muitos superiores aos dos rivais e mesmo que a comunicação social tenha tentado passar a ideia de que o Porto ia apresentar um valor recorde de mais de 20M€ de lucro isso não foi o caso. O Benfica apresentou pelo sexto ano consecutivo lucros. O Porto mesmo com uma prestação notável ao nível de receitas nas competições europeias só conseguiu perto de 9M€ de lucro. O Sporting está numa espiral que dificilmente sairá se não aceitar um decréscimo acentuado dos seus custos.

2 - Os resultados se excluirmos UEFA e atletas são muito favoráveis ao Benfica. O Sporting apresenta valores 45M€ inferiores aos do Benfica, enquanto o Porto menos 15M€. Este será por ventura o dado mais interessante, porque permite perceber quais os rendimentos menos voláteis nas equipas, as competições europeias ou a venda de jogadores contam quase como "receitas extraordinárias", se o clube conseguir obter receitas fora desses campos é sinal que mesmo com um mau ano poderá manter o rumo sem sobressaltos.

3 - Os direitos televisivos do Benfica aumentaram quase 40M€ para uns extraordinários 100,9M€. O Porto aumentou essa rubrica em quase 20M€ para os 42,7M€. No Sporting diminuiram cerca de 1M€ para os 24,5M€. Possam ser rubricas com diferentes sub-rubricas envolvidas, podendo ter publicidade estática, receitas da UEFA, ou o que seja, a verdade é que o Benfica recebe mais do que os outros dois juntos, recebe aliás mais do quádruplo do Sporting e mais do dobro do Porto. Se isto não desfaz qualquer tipo de dúvidas quanto a qual dos clubes tem melhor contrato televisivo, não sei o que fará.

4 - O Benfica e Porto tiveram um aumento grande nos custos com pessoal. Sendo que o Benfica parece ter uma capacidade financeira superior para conseguir manter esse nível de custos do que o Porto, principalmente agora que se sabe que os milhões da LC não entrarão nos cofres do Porto. O Sporting reduziu os gastos com pessoal em perto de 5M€ mas continua a ter uma folha salarial bem pesada para as receitas que tem.

5 - Quanto a transacções de jogadores, o Benfica conseguiu valorizar vários jogadores emprestados, como Talisca, Jovic ou Jimenez o que lhe permitiu um encaixe tremendo na ordem dos 90M€ sem perder nenhum jogador com peso no plantel. O encaixe referente ao João Félix só virá nas contas da próxima época. Espera-se ainda pelo R&C final do Benfica para perceber quanto o Benfica perdeu em comissões, actualizações financeiras, etc.

Neste tema, destaque para o Porto:

Neste exercício que acabou a Junho de 2019:
Militão - 50M€ venda - 28,4M€ mais valias;
Filipe - 20M€ venda - 10,3€ mais valias;

No anterior: 
Diogo Dalot - 22M€ venda - 20,9M€ mais valias;
Ricardo Pereira - 20M€ venda - 12,7M€ mais valias;
Boly - 12M€ venda - 5,6M€ mais valias;
Martins Indi - 7,7M€ venda - 5,3M€ mais valias

Aquele Militão e os 50M€ foram bem vendidos... Já agora, o Porto gastou mais de 8M€ em encargos na compra de jogadores, dando perto de 15% do total. É caso para dizer, o Jorge Mendes vende barato. Outra curiosidade no R&C azul e branco é que em jogadores que custaram menos de 2M€ e num total de 3M€, o Porto pagou mais de 4,5M€ em encargos... ou seja, esses jogadores no total custaram 7,5M€ com encargos superiores a 60%.

O Sporting gastou em encargos ou comissões 3,6M€ para um total de 33,2M€ em compras, ou seja pagou 11% de encargos... Este Jorge Mendes tem mesmo de cobrar mais do que os 10%.

6 - Benfica e Porto diminuíram o passivo, enquanto o Sporting aumentou o mesmo muito por causa da antecipação de 65M€ do contrato televisivo.

7 - O Benfica alcançou a marca de 116M€ em capitais próprios o que o torna a primeira SAD entre os três grandes a ultrapassar os capitais sociais da empresa. Feito extraordinário que só pode ser resultado duma estabilidade financeira ímpar. Porto e Sporting mantém os seus registos negativos.

8 - O Benfica com a antecipação de receitas do contrato da NOS para pagar divida bancária tem todas as condições para continuar a baixar drasticamente o seu passivo e com isso aumentar ainda mais os seus capitais próprios. Porto e Sporting com a antecipação de receitas dos contratos televisivos para pagar despesas correntes hipotecam receitas futuras que certamente lhes farão falta. Cada vez mais dependentes das competições europeias para competir com o Benfica.

9 - A título de curiosidade o Sporting nos últimos 20 anos tem sensivelmente os mesmos rendimentos totais que o Benfica tem nos últimos 7. 

10 - Este ano mais do que nunca será muito interessante perceber como as equipas vão terminar a época e acima de tudo como irá acabar o Ranking de País da UEFA. Caso Portugal termine em 6º lugar o segundo classificado da próxima época ganha automaticamente os milhões da Liga dos Campeões. Deverá tirar muito do peso da responsabilidade da vitória no campeonato tendo como única visão as contas. E isto é muito importante para Porto ou Sporting. A sua estabilidade depende e muito desses milhões. Se Porto consegue acesso aos milhões, ganha novamente um balão de ar para continuar a fazer all-in pelo menos mais um ano. Porto está claramente a navegar à vista e sem grande rumo ou estratégia definida. O Sporting poderá ganhar algum alento e aumentar e muito as suas receitas, visto ser de longe o que menos rendimentos operacionais apresenta. É muito importante o Benfica ser campeão, e será muito curioso perceber o que vai acontecer nas competições europeias, principalmente na Liga Europa com tantas equipas portuguesas, para ver como acaba o Ranking e que lugares darão acesso aos pelo menos 40M€ da Liga dos Campeões.


Nota: A publicação é longa, a primeira do género neste espaço, espero sinceramente que seja do agrado e que possa haver feedback dos leitores para que este género de publicações seja melhorada no futuro!

- Links para Relatórios e Contas disponíveis:


(o Benfica foi o único dos três que até à data ainda não disponibilizou o Relatório e Contas completo)