Siga-nos no Facebook

terça-feira, 8 de outubro de 2019

RGS e LFV prémios Nobel da demagogia


Somos gigantes e queremos continuar grandes na Europa, mas não tendo capacidade financeira para o fazer, como será possível lá chegar?

Parece-me óbvio que sem capacidade de investimento a formação tem que ser o caminho, mas terá que haver um investimento criterioso e de alguma forma avultado, para várias posições nas quais estamos carenciados de qualidade. Essas aquisições devem ser aproveitadas para mesclar a juventude made in Seixal com experiência/qualidade, de modo a propiciar crescimento qualitativo e mental aos nossos miúdos e ao plantel de forma geral.

Denoto que neste momento ainda não estamos na fase de maturação do projecto Seixal, pois dá-me a ideia de que nos estamos a precipitar na ascenção de vários miúdos, que ou não tem ainda experiência, ou nunca terão qualidade suficiente. Ora, isto é exactamente o que não se pode fazer. Quem for incluído no plantel sénior, tem que estar preparado para jogar "amanhã". A sensação que me dá é que isso não está a ser feito.

Os nossos miúdos tem que sentir que para vestir o manto principal não basta boas exibições na equipa B, assim como não basta ser bom, é necessário ser muito, muito bom!

Outra coisa que não faz sentido é haver anualmente obrigatoriedade de vagas no plantel para ascensão de miúdos made in Seixal. Com a subida obrigatória ao plantel sénior, banaliza-se a equipa principal que deve ser olhada como elite. Só faz sentido subirem os que forem realmente muito bons, sejam 10, apenas 1 ou nenhum se for caso disso.

O nível diferente de competitividade nota-se mais em competições como a Liga dos Campeões, onde se percebe que a experiência é importante. Estes jogos definem-se por pormenores, e com miúdos que há meia dúzia de jogos jogavam na equipa B é normal que num ou noutro pormenor determinante falhem, mesmo que não seja visível aos olhos da generalidade.

Acho que nos próximos anos, será importante para elevar o nosso nível competitivo geral. Será necessário um investimento sério em jogadores que acrescentem liderança e experiência.
Se pudermos ter em campo um por sector melhor, pois perdemos muita experiência nos últimos anos, com saídas de jogadores carismáticos como Luisão e Jonas, sendo que actualmente sinto ausência de um líder em toda a ascensão da palavra, que mande, organize e seja visto como líder por todos os jogadores.

Quanto à experiência de que falo, não tem relação directa com a idade, mas sim com experiência competitiva ao mais alto nível. Anualmente tentar "pescar" nos clubes que mais investem nas grandes ligas pode ser um caminho, o outro, diria que seria inteligente filtrar pela importância do atleta na sua seleção, embora possa não jogar nas melhores equipas dos big5. Os ordenados são também em si um grande obstáculo, mas apresentar um projecto ambicioso ao jogador que procura competir numa Champions pode ajudar.

Nível do futebol português...

A classe jornalística, rivais e benficados, ultimamente adoram falar do FC Porto de Champions e do nível competitivo deles na competição.

Parece que toda a gente já esqueceu que o Porto foi eliminado pelo colosso Krasnodar, mas esquecendo essa parte, nem tem feito muito mais do que nós nos últimos 10 anos. Sem dúvida que tivemos o ano dos zero pontos, que mancha o nosso trajecto recente, mas imediatamente antes e com o mesmo treinador fomos aos 8vos e 4tos com participações positivas.

Nos últimos 3 anos temos tido um plantel superior ao do FC Porto, mas as prestações deles na Champions tem sido no geral superiores... para mim é fácil explicar.

Experiência dos jogadores, o nível físico individual e geral da equipa, e alguma sorte nos sorteios, tem ajudado a que as coisas lhes corram bem com equipas "medianas" na Europa, já que quando apanham equipas como o Liverpool ou Bayern foi o que vimos...

Não lhes retirando mérito o que quero dizer com isto é que na Champions actual cada vez será mais difícil chegar a uns 4tos, sendo que para conquistar o troféu, será mesmo necessário uma dose gigante de sorte nos sorteios, sorte no campo e ter os astros todos alinhados.

É possível fazer melhor do que o Benfica tem feito?

Óbvio que é! Mas uma coisa é falar em fazer melhor, outra é falar em ganhar.

Para um projecto Europeu será necessário projectar uma equipa com olhos numa Champions e não apenas para ganhar a liga portuguesa. Experiência, liderança, qualidade e juventude, tem que ser as linhas orientadoras nas contratações.

O que é ser-se competitivo numa Champions actual para um clube com a capacidade do Benfica e que compete num campeonato e mercado como o português?

Passar a fase de grupos e ser eliminado com dignidade.

Objectivo dos 8vos conseguido, tudo o que vier extra será fantástico!

Ah e tal mas o Benfica dos anos 60, 70, 80 e inicio de 90... balelas!

Nas épocas onde tínhamos um Benfica pujante e a ganhar taça dos clubes campeões europeus, tínhamos os clubes mais poderosos que já prometiam pagar aquilo que o Benfica jamais pagava aos seus jogadores. Só que não era usual haver transferências entre clubes, assim como, não era usual os jogadores saírem do país para jogar futebol. Basta ver os nossos onzes nessas conquistas para perceber que as nossas únicas aquisições eram oriundas ou do campeonato português ou das nossas ex colónias.

Mais tarde tivemos um Benfica diferente, com vários estrangeiros de grande qualidade nomeadamente oriundos do mercado brasileiro, onde contratávamos jogadores à troca com azeite Galo, vinho, bacalhau e pouco mais... Esses tempos também já foram e os melhores jogadores, do em tempos nosso principal fornecedor, já não são acessíveis às carteiras dos nossos clubes, assim como, já existe actualmente várias equipas brasileiras com poder de aquisição e capacidade pagar ordenados similares ao que se pagaria em Portugal. Até nisso, deixamos de ser competitivos.

Depois apareceu a lei Bosman em 1995 e tudo mudou radicalmente na nossa competitividade.

Actualmente, tenho tantas possibilidades de ganhar o Euromilhões como uma equipa portuguesa de ganhar a Champions.

Nos últimos 10 anos, quantos clubes foram à final da Champions que estão fora dos campeonatos big5?
ZERO!


É impopular dizer-se que os 8vos já é bom eu sei, mas é a nossa realidade e é isso que deve ser transmitido ao sócios, adeptos e simpatizantes do grande Sport Lisboa e Benfica.

Não quer com isto dizer que após passar uma fase de grupos, não se pense em passar os oitavos, quartos, meias e conquistar a competição. Outra coisa é iludir quem mais ama e sofre pelo seu clube.

Ser realista será uma forma de nos unirmos na superação e não em demagogias baratas.

Benficados a demagogia e as eleições...

Nos próximos meses, teremos um Benfica vigiado de perto por alguns que antes não apareciam. Sempre que o Benfica quebrar no campo, eles irão aparecer de spray em punho a demonstrar os seu descontentamento.

Não serão difíceis de apanhar, porque pelo que vejo reivindicar, certamente serão sócios que viram o Benfica do King a espalhar magia no campeonato e nas Taça dos clubes campeões europeus.

Querem um Benfica a lutar pela Champions dizem eles, enquanto num tom sábio e irónico, espalham a palavra do sr esculpida na pedra como mandamentos, que tão bem é incutida em blogs afectos a quem se diz oposição.

Acho curioso que para os benficados, antes criticavam o betão do Seixal, depois de dar alguns bons frutos bastava reter o fruto do Seixal, agora o Seixal já não serve e temos que contratar um batalhão de jogadores de qualidade para atacar a champions. O candidato RGS com grandes conhecimentos no mercado, diz que bastava seguir as pisadas do Ajax e contratar exemplos como o Edson Álvarez ou o Lizandro Martinez para atacar a Champions.

Será que este senhor faz ideia de quantos milhões tem gasto por exemplo o City e PSG, para tentar ganhar a Champions, sendo que ainda não conseguiram sequer chegar à final?

Já agora e por curiosidade, sabem quantas Champions tem a Juventus do CR7 e dos milhões gastos anualmente com o objectivo de ganhar a competição? As mesmas que nós!

LFV e RGS unidos na demagogia...

Sim... RGS e LFV são Nobel da demagogia já os benficados não os entendo... é que aplaudem um, e criticam acerrimamente o outro, visto que a falta noção da realidade é atroz e comum a ambos.

Acho que embora seja um sonho dito vivo por LFV (comum a todos nós), enveredou por carregar na tecla Europa mais insistentemente por saber que é a sua parte frágil e ainda por concretizar no seu projecto para o Benfica. Ele sabe no fundo que é a palavra demagógica repetida vezes sem conta, pela única oposição visível e encabeçada por RGS... Europa.

Isto não desculpa a demagogia, mas é um apontamento de destaque, porque uma coisa é o sonho que todos temos, outra é perceber a realidade e o contexto com os pés no chão.

Ah e tal, o malandro do Vieira gaba-se que o Benfica tem muito dinheiro na conta. Sério? Isto é criticável?

Batam palmas à gestão All In de Porto e do Sporting nos 10 últimos anos, isso sim, gestão de qualidade.

No caso do Sporting, só não dão a chaves do clube aos bancos, porque os bancos não querem o Sporting para nada. Com VMOCS o Sporting é o maior passivo do futebol Português.

No caso do Porto, quantos milhões de euros encaixou o FC Porto em vendas nos últimos 10 anos?

Actualmente estão sobre o Fair Play financeiro da UEFA e a única coisa que cresce naqueles lados, é o passivo do clube.

E nós no Benfica vamos tolerar devaneios de alguém que assuma o Benfica a prometer investimentos para ganhar Champions League?

Vamos todos imaginar com muita força, que RGS é presidente.

Entra no clube e gasta o tal dinheiro todo, que dizem estar no banco (imaginemos 100M€).

Com 100M€ de orçamento para contratações, quem contratar para atacar a Champions?

-Contratamos o sonho de RGS, Edson Álvarez e o Lizandro Martinez ao Ajax?

-Contratamos 1 craque por 100M€?

-Contratamos 2 craques (50m cada)?

-Contratamos 3 Gimenez?

-Contratamos 3 RDT´s?

-Contratamos 3 Oliver´s?

-Contratamos 6 metades de Nakajimas?

Como pagar ordenados condizente com o estatuto desses jogadores? Um jogador de 50M€ diria que no mínimo viria auferir 5M€ limpos (10M€ brutos). E os restantes jogadores do plantel que ganhariam escandalosamente menos? Como se gere um balneário com três jogadores a ganhar 5M limpos com os restantes com tecto salarial de 2M líquidos?

E se esses mesmos jogadores não renderem no campo? Como colocar no mercado a não perder dinheiro, jogadores que custaram 50M€ a um clube de um campeonato de segunda linha como o português, e até nesse campeonato se revelaram flops?

E se não conseguirmos acesso à Champions tendo feito um investimento desta ordem?

Ou será que uma pessoa com a responsabilidade de um presidente de um clube da dimensão do Benfica, não tem que prever o insucesso? É que num mercado como o português que é extremamente limitado em termos de receitas, ter ou não acesso à liga dos campeões tem um impacto brutal nas contas do clube. Não estar presente um ano que seja, pode significar alterar toda a estratégia de um clube que até então, até respirava bem em termos financeiros...

Atenção, eu também defendo investimento... mas não tem nada a ver com a demagogias instaladas nas mentes de LFV, RGS e uma franja de adeptos que defendem as conquistas europeias como se estivéssemos em 1961.

Falo em subida de competitividade do Benfica que é possível e real, de modo a que sejamos temíveis e não banais.

Uma equipa como a nossa, actualmente passar a fase de grupos da champions tem que ser o objectivo primordial na Europa e vez de pensar em conquistas obrigatórias com orçamentos 5 vezes inferiores em transferências e ordenados.

Estupidez não é pensar alto, estupidez é achamos que o tempo está parado porque nos dá jeito, e 1961 tem que ser igual a 2019.

Engraçado que na última semana de competições europeias, após o nosso jogo contra o Zenit os rivais regozijavam-se com a nossa derrota, enquanto de sorriso nos lábios a classe jornalística carregava na polémica sobre Lage e LFV, tudo isto com os benficados a esfregar as mãos de contentamento fazendo o trabalho nojento habitual e com tendência a agravar com o aproximar de eleições.

Mas no dia seguinte a Liga Europa (2ª divisão da Europa), fez questão de dar a todos bem juntinhos, um banho de realidade do que é o nosso futebol. Não que não sejamos competitivos, mas porque claramente somos de uma segunda divisão europeia.

Custa assumir? Sim! Mas é a realidade e será difícil com este estado de coisas dar um boost geral na competitividade do futebol nacional. Talvez um dia com a centralização dos direito TV, mas essa é uma temática para falarmos noutra altura.

Pois é, tivemos então o Porto europeu muito elogiado por todos, a perder contra o Feyenoord que não pertence à 2ª, mas sim à 3ª divisão europeia.

O Sporting sofreu em casa e como equipa pequena, para ganhar ao colosso LASK, enquanto o Braga empatou com o histórico Bratislava... sendo que o único clube português que se excedeu na exibição foi o Guimarães que se bateu muito bem contra uma equipa de outro patamar competitivo, embora com derrota.

O mercado português pertence a uma segunda divisão europeia e por inerência os clubes portugueses são o espelho dessa competitividade. Tem que ser assumido! Este é um facto indesmentível que nos custa, mas o passo certo para encarar e alterar o estado de coisas.


Esta sim, é a nossa realidade espelhada em números concretos!

Nós no ranking da UEFA estamos em 6º e quase a passar a Rússia, mas ainda assim, achamos que estamos a fazer pouco... Não meus caros! Estamos a fazer mais do que a nossa obrigação com menos, e isso significa que ainda assim temos muita competência para o pouco dinheiro que gerimos.

A figura acima demonstra o investimento geral dos campeonatos a nível mundial época 2019/20.

Os big5 estão num patamar completamente diferente com todos eles com números a passar os mil milhões €, já nós, estamos no modesto 11º no que diz respeito a poder de compra, sendo que ligas periféricas como a chinesa, saudita, belga, russa e segunda divisão inglesa, investem mais do que o mercado português em 2019/20... leram bem, investem mais que o campeonato português.

Vejam o posicionamento peculiar no Brasil.

Porque falo do Brasil? Porque como escrevi acima, o Brasil em tempos foi o nosso principal fornecedor. Actualmente já não temos sequer capacidade para adquirir os melhores jogadores do campeonato brasileiro.

O nosso grupo Champions...

Temos obrigação de competir pelo apuramento, algo que não estamos a fazer.

Sonhar é viver e fazer melhor terá que ser o foco diário no clube e em cada um dos que veste o manto lá dentro. Mas dizer que actualmente uma equipa portuguesa vai apostar em ganhar a champions é o mesmo que dizer em eleições que "vamos aumentar o ordenado mínimo para 1500€"... A maioria aplaude e vota na promessa, mas depois é o que todos sabemos... (perguntem ao RGS como funciona a dinâmica na política, que ele explica.)

Das 4 somos a equipa do nosso grupo com menor investimento, sendo que somos a equipa que mais facturou em vendas.




 
Não estou a par da situação económico/financeira das restantes, mas sei que há não muito anos, éramos criticados e apontados como um dos clubes mais endividados do mundo. Esse paradigma mudou e já não somos sequer a equipa com mais endividamento em Portugal.

Ah e tal, mas o Benfica não são contas... Pois não! Mas se o objecto principal de um clube não é dar lucro, certamente não foram pensados para dar prejuízo.

E conquistas? Não vale a pena estar sempre a falar no mesmo, mas relembro que ganhámos 5 campeonatos em 6 anos.

E a Europa?

Vejam com os vossos próprios olhos, quais e quantas equipas investem mais que nós, que nem sequer competem para ganhar internamente, quanto mais aspirar a ganhar uma Champions ou Liga Europa que seja. (Estamos em 45º no investimento para 2019/20)

Atenção que grande parte destes investimentos só são nestes montantes, porque existe o Fair Play da UEFA, porque se assim não fosse, seria a selvajaria.

E o valor do plantel não conta?
Óbvio que sim!

O nosso plantel está avaliado em cerca de 310M€ e situa-se no 29º lugar a nível mundial dos planteis mais valiosos em 2019/20. Vejam quantas equipas em teoria tem obrigação, de fazer mais e melhor que nós...
---------------------------

Eu também não pertenço a nenhuma claque ou grupo de adeptos, também não combinei nada com ninguém, mas escrevo num blog sendo que sou única e verdadeiramente influenciado, pelo amor ao Benfica.

Partilhem o post e discutam saudavelmente as vossas ideias.