Campeões Nacionais 2014/2015

Campeões Nacionais 2014/2015

Siga-nos no Facebook

segunda-feira, 6 de abril de 2009

A TÁCTICA DE QUIQUE

Eu só gostava que me explicassem como se podem ganhar jogos quando jogamos com 3 trincos (Katso, Yebda no meio e Amorim na direita), com um médio ofensivo centro a jogar na esquerda (Aimar), quando jogamos com um lateral direito que não sobe e quer queiramos, quer não, é tão rápido quanto o Rochemgordo. Gostava que alguém me explicasse como se eu fosse mesmo muito, muito burro, tipo andrade corrupto.

Temos jogadores que jogam nas alas como o Urreta e o Balboa mas o Quique prefere lá colocar médios ofensivos centro e trincos. Sendo asim, o melhor é vender já o Di Maria, o Urreta, o Balboa, o Coentrão e despachar o Reyes e ir buscar todos o trincos que andem no futebol.

O problema do Benfica é que joga com 2 trincos no meio (Katso e Yebda) e nenhum destes tem a capacidade para transportar o jogo e depois atrapalham-se um ao outro, por isso é que mesmo com 2 trincos os adversários fazem o que querem do meio campo. Os únicos jogadores no plantel que podem fazer o transporte de jogo da defesa para o ataque são o Carlos Martins e o Aimar.

Carlos Martins tem andado lesionado e Aimar nunca foi colocado ao lado de Katso ou Yebda no meio campo, foi sempre colocado como 2.º avançado ou extremo esquerdo. Depois temos um Ruben Amorim, que é um excelente trinco, como extremo direito é banal. Se juntarmos a isto um Maxi que pouco sobe e que é lento, com o David Luiz que é um excelente central mas um medíocre lateral, ou seja, as suas subidas normalmente não resultam em nada, temos somente Reyes e Aimar para desequilibrar e com capacidade criativa. É muito pouco para um Benfica que joga contra equipas que se fecham lá atrás, por isso é que o Benfica cria poucas oportunidades de golo. Dois jogadores mais criativos é muito pouco e Aimar não tem desequilibrado como sabe porque está "amarrado" a uma posição que em nada lhe favorece, de costas para a baliza.

O chamado médio box-to-box só temos 1 que é o Carlos Martins. Depois temos o Aimar que poderá fazer essa posição, melhor do que faz Katso ou Amorim. Não me venham com tretas do Katso ser um box-to-box porque não é!!! Katso tem enorme dificuldades em pegar na bola e transportá-la para o ataque. Tem grande visão de jogo e até consegue fazer um passe a 15/20 metros a isolar um companheiro mas não lhe peçam para transportar jogo, o mesmo para Yebda e Amorim. No caso de Amorim poderão constatar observando os jogos do Belenenses da época passada.

Amanhã irei apresentar um esquema consoante as posições dos jogadores do Benfica para ficarmos com uma melhor ideia dos desequilíbrios da equipa e provar como Quique não tem colocado os jogadores certos nas posições certas. O sistema táctico de Quique é o ideal para o Benfica, os jogadores é que estão nas posições erradas o que faz do Benfica uma equipa conservadora, mais defensiva e não uma equipa á imagem do Benfica, ou seja, uma equipa dominadora e de ataque.

3 comentários:

  1. Eu acho que a vontade dos jogadores em fazerem melhor também já é muito pouca...têm a obrigação de poder e acima de tudo DEVER de fazer mais...

    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. totalmente de acordo, bem explanado, mas jà houve jogos em que só houveram dois desequilibradores, estes treinadores a arriscar a ganhar, teem é medo de perder, e quem fica sempre com o coração nas mãos somos nós, apesar de tudo:BENFICA SEMPREEEEE!!!!

    ResponderEliminar
  3. pjsimoes vamos mas é apoiar a equipa e quem lá está até final de temporada. depois faremos contas.

    é isso que peço em nome do Benfica.

    http://footballdependent.blogspot.com/2009/04/carta-aberta-todos-os-verdadeiros.html

    tiago pinto

    ResponderEliminar

AMIGO/A VISITANTE

Não comente como ANÓNIMO porque pode haver quem deseje responder-lhe e assim continuar o diálogo.

Clique em NOME/URL e escreva o seu, ou um nome, ou um nik, não necessitando de escrever nada no 2.º rectângulo, deixando-o em branco.
A seguir clique em ... continuar e... comente.

Volte sempre. Obrigado