Siga-nos no Facebook

terça-feira, 13 de agosto de 2019

RGS: Pai de Bruno Lage e fundador do Seixal


Ontem fui alertado pelo Nuno Martins, de que estará para breve o dia em que RGS se irá autoproclamar "pai do Bruno Lage"... achei piada e fui ler o seu post pós férias no NGB... e parece que sim, além de o ver "apenas satisfeito"vejo-o algo paternal.

RGS tem sido isto desde que se assumiu candidato à presidência do Benfica... opiniões bipolares, de circunstância e ao sabor dos resultados...

Antes de ir de férias, enquanto o defeso especulava e/ou nos ia dando notícias sobre o negócio João Félix, o anti-betão RGS aproveitava para ir cavalgando no seu prado teórico dos mendilhões... mas como bom praticante de política que é, RGS consegue defender o fruto como poucos (quando é bom), e ao mesmo tempo criticar a árvore betão e todo investimento nela efectuado. Calculo que RGS perceba tanto de agricultura como eu, mas ainda assim, com uma enorme diferença de que eu percebo a ideia que para colher é preciso plantar, e para plantar, é preciso reunir condições para o fazer...

Mais tarde e com a venda do João Félix a ser uma realidade, RGS aparece em público na mesma linha da ex deputada Ana Gomes a questionar o negócio...
Neste caso específico, um questiona os negócios carrossel Jorge Mendes e o outro vai um pouco mais longe e fala mesmo em lavagens de dinheiro... Fantástico! Entre ambos, além de especular sobre os negócios do Benfica, de partilharem o mesmo apelido, de serem ambos políticos e do aproveitamento sempre circunstancial do momento, não lhes conheço nenhuma proximidade... mas há coisas do caraças...

Agora vejam como as coisas mudam com uns raios de sol...

RGS antes de férias segunda-feira, 24 de junho de 2019
"Só que - agora - com 120 milhões do João Félix para - como diz o povo - torrar ou derreter!"

RGS pós férias segunda-feira, 12 de agosto de 2019
"Apesar da grande exibição de anteontem de Nuno Tavares, falta-nos outro lateral direito.
O ideal seria também mais um 9 e meio e um” box to box”, à imagem de Gabriel (que surpresa ... confesso).
Não temos — de momento - alternativa a Pizzi, embora me pareça que o Chiquinho poderá lá chegar perto!
Isto se queremos mesmo uma equipa para a Europa ... para o que precisaremos - ainda - de mais um defesa central e de outro guarda redes (curiosa coincidência a de todos os que “queremos” custarem ... 15 milhões)."

No dia 24 de junho íamos torrar o dinheiro todo, no dia 12 de agosto e porque o Benfica só comprou neste defeso com critério e para as posições necessitadas... RGS vem dizer que falta um defesa direito, um avançado, um 8, um médio interior direito, um defesa central e um guarda redes.
Como RGS está "apenas satisfeito" além dos já contratados, necessitávamos de mais 6 jogadores. Bravo!

Por curiosidade eu pergunto...
Será que se o Benfica contratasse esses 6 jogadores, não estaria a torrar ou a derreter dinheiro do João Félix? Não seria um fomentar do carrossel mágico do Jorge Mendes? Ou será apenas um argumento guardado, e hipoteticamente usado no futuro, contra LFV que hipotecou o bi?

Reparei também, que o Facebook de RGS esteve ontem a "arder" com comentários insultuosos e nos quais nenhum de nós se deveria rever, mas por outro lado não acho que seja justo RGS ficar desagradado, porque afinal de contas esta malta é o seu adepto alvo...
Calma, eu explico!
Estes adeptos insultam-no agora porque o Benfica ganha, mas amanhã aplaudem-no de pé enquanto insultam LFV por um mau resultado da equipa.
É este tipo de adepto que o Rui cativa, porque as suas opiniões também elas são repletas de aproveitamento do momento.

Era isto que RGS deveria questionar a si próprio. Quão débeis podem ser as suas ideias ou o seu projecto, que só fazem sentido com maus resultados desportivos da equipa.

Acho sinceramente que o Rui fazia bem ausentar-se do espaço mediático por uns tempos e meditar muito sobre tudo isto, de modo a que um dia possa aparecer e ser levado a sério, não por estes, mas pelos que não pensam como os seus adeptos alvo.

PS: O áudio que veio ontem a público, é bem revelador do quanto teremos que estar preparados e unidos, não só dentro de campo como fora dele.