Siga-nos no Facebook

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Curtas: Um Mundo Novo

Continuamos na missão de tentar manter a serenidade e a sanidade nestes tempos difíceis para muitos de nós.
Vou colocar três pontos para debate, um que ultimamente vimos aparecer nos comentários que temos feito mas também dois que tenho visto por essa comunicação social.

1 - Lay-off simplicado

Tem sido muito falado na comunicação social e o Chakra mencionou essa possibilidade, e até desejo, que o Benfica utilize esse mecanismo.

Primeiro que tudo o que é o regime lay-off e que com a pandemia o Governo facilitou no seu requerimento.


Eu já dei a minha opinião num comentário numa publicação anterior mas vou reforçá-la aqui na forma de pequeno post. É para mim inconcebível que uma empresa, e estou apenas a falar do futebol profissional, ou seja da Benfica SAD, possa ter mais de 100M€ em lucros no final do ano passado e peça ajuda ao Estado Português para pagar salários. Neste momento as empresas, sem o regime de lay-off já podem pagar os seus impostos apenas no final do próximo trimestre, assim como o pagamento da segurança social. Ou seja, uma parte dos encargos já estão adiados para haver maior liquidez neste momento. Não faço ideia que tipo de soluções sairão hoje das reuniões entre a UEFA e as Federações dos Países, não faço ideia de qual será a decisão global no nosso futebol português no que toca ao pagamento de salários, se haverá ou não uma decisão concertada. Mas há uma coisa que sei, se a decisão for feita individualmente, fica já assente que esta direcção perderá votos se decidir pelo pedido de lay-off. 

Ainda há poucos dias estava a escrever uma carta conjunta dos pais da sala da minha criança de 3 anos em que dizia que estando todos cientes dos problemas que vamos todos atravessar, esta é a altura da sociedade trabalhar em conjunto e isso passa por cada parte dela saber assumir as suas responsabilidades. "Não estamos dispostos a pagar uma mensalidade de um serviço que não nos é prestado para a empresa simplesmente ter lucro". Está na hora de todos pagarmos um pouco disto. Se é verdade que as empresas vão sofrer, também é verdade que todos nós vamos. 

A Benfica SAD tinha quase 100M€ em caixa no final de Dezembro. Se olharmos a custos com pessoal na ordem dos 100M€ (é menos que isso mas vamos arredondar por excesso), teremos que por mês a Benfica SAD gasta menos de 7M€. Como é que se pode justificar a um trabalhador, seja um jogador a ganhar o tecto salarial, seja à senhora da limpeza a ganhar perto do ordenado médio, que uma empresa que em Dezembro tinha o melhor resultado da história do futebol português em lucros, que no mês de Janeiro gastou 40M€ por dois jovens jogadores não tenha agora 40M€ para aguentar 6 meses de paragem na actividade? Como é que se justifica que uma empresa que muito provavelmente vai apresentar em Junho o melhor resultado da história do futebol português em lucros vá pedir um regime que na prática a faz pagar menos de 30% do salário dos trabalhadores, sendo o resto pago por todos os portugueses? 

Não é ético. Seria verdadeiramente vergonhoso. 

Se tivermos de cortar nos próximos contratos. Se tivermos de cortar nas próximas janelas de transferências. Se tivermos de cortar nas renovações de jogadores com contratos longos. Se tivermos de cortar nos salários dessas renovações. Se tivermos de a médio prazo cortar a folha salarial. Se tivermos de registar prejuízos no próximo ano. Tudo certo. É o preço do novo mundo. Agora, fazer o país pagar os ordenados a uma empresa que detém neste momento meios mais que suficientes para o fazer. Nunca estarei de acordo e irei corar de vergonha se for esse o caminho do meu clube.


2 - Cortes de salários noutros clubes do Mundo

São noticias que têm vindo a público e em catadupa. Juventus cortou. Barcelona cortou. Atlético Madrid cortou. Tottenham fala em cortar, assim como muitos outros.

É a demonstração clara que o futebol em termos financeiros é uma farsa. Este é o momento para a UEFA verdadeiramente olhar para isto e dizer basta. O fair-play financeiro é uma treta e deve ser encarado como tal. Como é que um clube que pagou 100M€ por Cristiano Ronaldo há um par de ano atrás, com lucro para o clube, ou um clube que pagou 120M€ por Griezmann ainda este Verão, ou um que pagou 126M€ por João Félix há menos de um ano atrás podem ficar menos de 1 mês parados e encetar o discurso de não ter dinheiro para pagar salários?

Isto é um absurdo tremendo e só significa uma coisa. Tem-se permitido muitas coisas aos clubes que neste momento têm de ser travadas. É inconcebível que um clube como o Atlético tenha 500M€ em custo com pessoal por ano se não tem capacidade financeira para estar 1 mês sem actividade e continuar a pagar salários. 

Está na hora do mundo do futebol abrir os olhos. Está na hora da UEFA intervir e não permitir mais isto. Se um clube que gera na ordem dos milhares de milhões de euros por ano em receitas não tem a capacidade de se auto sustentar por um mês ou dois sem actividade... Então não devem permitir que se mantenham com os gastos que têm. Simples.


3 - Transferências e a Comunicação Social

Isto só será um mundo novo para quem quiser que seja. Há pessoas que continuam a achar que a demagogia, a mentira e a contradição deve ser espalhada pelo mundo. Com o nosso principal rival literalmente a rezar para que lhe entreguem o título sem se jogar, continuamos a ver a teia espalhada na comunicação social a fazer questão de dar alimento aos que sofrem diariamente com isso.

Antes mesmo da pandemia se instalar, em Janeiro ouvia-se falar que Tottenham e Sevilha queriam muito o Zé Luís e o valor da transferência podia-se fazer por 20M€. Não se esqueçam, esta era a imprensa que criticava e estranhava a saída do RDT por 22M€ para o Espanhol, jogador de 24 anos que em Espanha já tinha mostrado que era um marcador ao ponto do seu valor de mercado rondar os 20M€ mas não achava estranho alguém pagar 20M€ por um jogador de 29 anos que 6 meses antes tinha custado 9,5M€ e que nada tinha feito no clube para a valorização de 100%.

A pandemia trouxe aquilo que o Nuno já mencionou numa outra publicação. A corrida por Alex Telles vai brava e o Barcelona ponderava avançar com 40M€ e ainda mandava um lateral qualquer como bónus. Isto por um jogador a 6 meses de ficar livre para assinar por outro clube. E isto num clube que acabou de aprovar uma redução massiva dos salários dos seus jogadores. O Messi deve adorar a noticia de para onde vai o seu dinheiro. 

Depois voltou à carga o Soares. Em Janeiro a Roma ponderava dar 20M€. Agora já pensa leva-lo por 15M€. Isto por um jogador que vai fazer 30 anos na próxima época e que nas ultimas 5 épocas nunca marcou mais de 22 golos mesmo tendo jogado sempre mais de 34 jogos. E a proposta vem dum clube que está no epicentro da pandemia da Europa e que provavelmente prepara-se para cortar à séria nos salários dos seus jogadores. Kalinic e Dzeko que se cuidem. Vem mais um trintão a bordo!

Por fim a moda agora é o Diogo Leite. Um jovem central tão bom e promissor que já vai na terceira época como sénior sem singrar numa equipa do Porto em que até um tal de Mbemba já jogou a central. É um jovem tão promissor que ao que parece anda aí um leilão por ele ao ponto dos jornais falarem que a fasquia é a cláusula de rescisão de 40M€. Portanto o 4º central do Porto de 21 anos que nunca pegou como titular na equipa do Porto vale mais do que foi pago pelo Lindelof? Que era titular do Benfica campeão? Vale praticamente o mesmo que o Militão? Quanto vale então o 2º central do campeão nacional? Quanto vale o Ferro mesmo? 

Há mau jornalismo... e depois há feno. 


No Twitter em https://twitter.com/UnivBenfiquista